sicnot

Perfil

Desporto

Autorizada extradição para EUA do ex-vice-presidente da FIFA Jack Warner

O procurador-geral de Trinidad e Tobago autorizou na segunda-feira a extradição para os Estados Unidos do antigo vice-presidente da FIFA Jack Warner, acusado de corrução, crime organizado e branqueamento de capitais pelas autoridades norte-americanas.

Reuters

Warner foi vice-presidente da FIFA entre 1983 e 2011 e é uma das principais figuras no escândalo de corrupção que assola o organismo e que motivou a demissão do ainda presidente Joseph Blatter.

Os advogados de Warner, em liberdade a troco de uma caução de quase 400.000 dólares (cerca de 358.000 euros), depois de ter sido detido em finais de maio, já recorreram da decisão do procurador, alegando que a ordem foi formalizada depois da data limite de 16 de setembro.

A equipa de advogados alega também que o governo de Trinidad e Tobago mostrou "parcialidade" neste processo, com "manifestações persecutórias" contra Jack Warner.

A FIFA foi abalada por este escândalo de corrupção em maio, a dois dias da reeleição de Blatter, num processo aberto pela justiça dos Estados Unidos e que levou a acusações a 14 dirigentes e ex-dirigentes.

No início de junho, Blatter apresentou a demissão, abrindo o caminho para novas eleições, marcadas para 26 de fevereiro.

O príncipe jordano Ali bin Al Hussein, antigo vice-presidente da FIFA, o francês Michel Platini, presidente da UEFA, o sul-coreano Chung Mong-Joon, também antigo vice-presidente da FIFA, e o ex-futebolista brasileiro Zico já anunciaram que são candidatos.

  • Europa num clima de tensão parecido ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra Mundial
    2:18

    Mundo

    O populismo e a demonização do outro estão a conduzir a Europa a um clima de tensão semelhante ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra mundial. A conclusão é do relatório anual da Amnistia internacional, que denuncia ainda que 2016 foi um ano de "implacável miséria e medo" para milhões de pessoas. Embalados pelo discurso do medo, vários governos recuaram nos direitos humanos.