sicnot

Perfil

Desporto

Zico revela que lhe falta apoio das federações para eleições na FIFA

O ex-futebolista internacional brasileiro Zico, que anunciou ser candidato à presidência da FIFA, revelou esta quinta que lhe falta o apoio das cinco federações, uma das condições para concorrer.

O brasileiro salientou que o problema não é ser uma vítima do sistema, num caso que compara ao de Luís Figo, devido ao facto de o português, que chegou a apresentar a candidatura nas eleições de maio, se ter retirado devido a falta mais de apoios. (Arquivo)

O brasileiro salientou que o problema não é ser uma vítima do sistema, num caso que compara ao de Luís Figo, devido ao facto de o português, que chegou a apresentar a candidatura nas eleições de maio, se ter retirado devido a falta mais de apoios. (Arquivo)

© Carlos Jasso / Reuters

O antigo médio explicou em Zurique, à margem de uma reunião do Comité executivo da FIFA, que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não lhe manifestou qualquer apoio, nem fez qualquer sugestão de aliança de outras, que viabilizasse a candidatura.

A antiga estrela do futebol 'canarinho' está desde segunda-feira em Zurique, onde se encontrou com o ainda presidente, o demissionário Joseph Blatter, e com François Carrard, da comissão de reformas da FIFA.

Zico, de 62 anos, revelou ainda que esteve também com o presidente da Federação de Futebol dos Estados Unidos, Sunil Gulati, e com o vice-presidente da federação japonesa, Khozo Tashima, ambos membros do comité executivo.

"Nenhuma dessas federações me prometeu alguma coisa", frisou o antigo médio, dizendo que também o processo eleitoral precisa de ser reformado, acrescentando que o atual modelo favorece os poderes instalados.

O brasileiro salientou que o problema não é ser uma vítima do sistema, num caso que compara ao de Luís Figo, devido ao facto de o português, que chegou a apresentar a candidatura nas eleições de maio, se ter retirado devido a falta mais de apoios.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.