sicnot

Perfil

Desporto

Jack Warner banido de toda a atividade ligada ao futebol

O ex-vice-presidente da FIFA Jack Warner, um dos envolvidos no escândalo de corrupção do organismo, foi banido para sempre de toda a atividade relacionada com o futebol, anunciou hoje o Comité de Ética daquela entidade.

© Andrea De Silva / Reuters

"Concluiu-se que Jack Warner cometeu muitos e variados atos de má gestão continuada e repetidamente enquanto ocupou altos e influentes cargos na FIFA e na CONCACAF [Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caraíbas]", lê-se no comunicado do Comité de Ética.

Durante a sua atividade como dirigente, Jack Warner "foi uma figura-chave em esquemas de oferta, aceitação e recebimento de pagamentos ilegais e desconhecidos e outros esquemas para fazer dinheiro", violando regras de conduta, lealdade, dever de revelação e cooperação, conflito de interesses, oferta e aceitação de prendas e outros benefícios e a obrigação das partes em colaborar, constantes no Código de Ética da FIFA.

A decisão foi tomada com base na investigação desencadeada em janeiro de 2015 na sequência do relatório resultante do inquérito ao processo de atribuição da organização dos Mundiais de 2018 e 2002, à Rússia e ao Qatar, respetivamente.

O afastamento definitivo do dirigente de Trindade e Tobago abarca a atividade nacional e internacional e produz efeitos desde 25 de setembro, data da notificação.

Warner, de 72 anos, enfrenta ainda um pedido de extradição feito pelas autoridades dos Estados Unidos, onde pendem sobre ele 12 acusações de fraude, crime organizado e branqueamento de capitais relacionadas com o escândalo de corrupção que abala a FIFA.

A justiça norte-americana acusou 14 pessoas, incluindo dirigentes e ex-dirigentes da FIFA e empresas de marketing desportivo, de receberem mais de 134 milhões de euros em subornos e pagamentos indevidos ao longo de duas décadas.

Jack Warner é acusado, entre outras coisas, de ter adquirido os direitos televisivos dos Mundiais de 2010 e 2014 ao presidente da FIFA, Joseph Blatter, por valores extremamente baixos.

  • Primeiro-ministro agradece sacrifícios dos portugueses
    0:46

    Economia

    O primeiro-ministro diz que os números do INE em relação ao défice de 2016 são prova de que havia uma alternativa e deixou uma palavra de agradecimento aos portugueses. As declarações de António Costa foram feiras aos jornalistas em Roma, onde se encontra para assinalar no sábado os 60 anos da União Europeia.

  • Jerónimo diz que UE vai continuar a causar constrangimentos a Portugal
    0:35

    Economia

    Esta sexta-feira na inauguração de uma exposição em Almada que denuncia a precariedade dos postos de trabalho, Jerónimo de Sousa falou sobre o défice de 2016. Para o secretário-geral do PCP, apesar do Governo ter ido além do exigido por Bruxelas, a União Europeia vai continuar a impedir Portugal de crescer.

  • Enfermeiros desconvocam greve

    País

    O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) desconvocou esta sexta-feira a greve geral nacional marcada para quinta e sexta-feira da próxima semana, anunciou o presidente da estrutura, justificando com os compromissos assumidos pelo Ministério da Saúde.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Probido fumar na praia? Não-fumadores aplaudem ideia
    1:33

    País

    O Comissário Europeu da Saúde defende uma proibição total do consumo de tabaco no espaço público. Esta e outras medidas foram defendidas, ontem, na Conferência Tabaco e Saúde da Liga Portuguesa Contra o Cancro. 

  • Visitar o Titanic vai custar 97 mil euros por pessoa

    Mundo

    Uma viagem a bordo do Titanic em 1912 era considerada uma viagem de luxo. Mais de 100 anos depois, continua a ser um luxo visitar o Titanic. Em 2018, vai ser possível conhecer os restos daquele que em tempos foi o maior navio do mundo. Contudo, nem todos vão poder fazê-lo, pois a viagem irá custar cerca de 97 mil euros por pessoa.