sicnot

Perfil

Desporto

Ronaldinho deixa Fluminense dois meses depois de ter assinado com o clube

O futebolista brasileiro Ronaldinho rescindiu, por mútuo acordo, o contrato com o Fluminense, cerca de dois meses depois de se ter estreado pelo 'tricolor', anunciou na segunda-feira o clube em comunicado.

© Ricardo Moraes / Reuters

"O Fluminense vem a público comunicar o rompimento do contrato com o atleta Ronaldinho Gaúcho de forma amigável e em comum acordo entre as partes", lê-se no documento, publicado no site oficial do clube.

Garantindo que o futebolista sempre tratou o clube "com profissionalismo e respeito", o Fluminense diz ainda que mantém os laços com o futebolista, com o qual espera voltar a trabalhar no futuro.

O emblema do Rio de Janeiro refere ainda que a contratação "correspondeu às expectativas" no retorno financeiro, aumentando as receitas com bilheteria, venda de camisolas e número de sócios.

Ronaldinho estreou-se pelo Fluminense a 01 de agosto, frente ao Grémio, clube no qual se formou, disputando nove jogos pelo 'tricolor'.

Antes do Fluminense, Ronaldinho atuou nos mexicanos do Querétaro, já depois de ter passado por Paris Saint-Germains, FC Barcelona, AC Milan, Flamengo e Atlético Mineiro.

Lusa

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.