sicnot

Perfil

Desporto

Vice da FPF assistiu ao FC Porto-Chelsea

O vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) Elísio Carneiro assistiu na terça-feira ao jogo da Liga dos Campeões entre FC Porto e Chelsea no Estádio do Dragão, disse hoje à Lusa uma fonte federativa.

© Reuters Staff / Reuters

Na terça-feira, após a vitória dos 'dragões' sobre os 'blues', por 2-1, o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, assumiu sentir-se desrespeitado pelos responsáveis da FPF, por o organismo não se fazer representar nos jogos no recinto 'azul e branco'.

"É um desrespeito. Estando o FC Porto na Liga dos Campeões e tendo o FC Porto já disputado jogos importantes, como o FC Porto-Benfica, não se dignarem a vir aqui ver os jogos", referiu então Pinto da Costa, salientando desconhecer se a FPF "ficou, ou não, satisfeita com a vitória do FC Porto sobre uma das grandes equipas do futebol europeu".

Questionada sobre as declarações do presidente portista, fonte federativa disse à Lusa que "o vice-presidente Elísio Carneiro esteve no Estádio do Dragão a assistir ao jogo", acrescentando que "sempre que o FC Porto ou outro clube convidar oficialmente a FPF para estar presente terá todo o gosto em marcar presença".

A FPF conta com seis vice-presidentes, um deles o presidente da Liga Portuguesa de Futeobl Profissional (LPFP), Pedro Proença, por inerência. Elísio Carneiro é o 'vice' com a tutela da 'pasta' Administrativa e Financeira.

"Os bons resultados das equipas portuguesas em provas internacionais orgulham-nos a todos", sublinhou a mesma fonte federativa, instada a comentar a dúvida expressada por Pinto da Costa: "Não sei se a federação estará contente, ou então, nem sabem ainda o resultado, mas espero que estejam a ouvir uma das rádios e saibam que o FC Porto ganhou ao Chelsea".

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalaram-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.