sicnot

Perfil

Desporto

Presidente do Fenerbahce absolvido em processo por viciação de resultados

O presidente do Fenerbahçe, treinado pelo português Vítor Pereira e no qual atuam Nani, Bruno Alves e Raul Meireles, foi esta sexta-feira absolvido pelo Supremo Tribunal Federal da Turquia, num processo de viciação de resultados de futebol.

Aziz Yildiriam, presidente do clube turco desde 1998, foi condenado em 2012 pelo Supremo Tribunal Federal a seis anos e três meses de prisão por suspeitas de combinação de resultados e de constituição de uma organização criminosa. (Arquivo)

Aziz Yildiriam, presidente do clube turco desde 1998, foi condenado em 2012 pelo Supremo Tribunal Federal a seis anos e três meses de prisão por suspeitas de combinação de resultados e de constituição de uma organização criminosa. (Arquivo)

Murad Sezer / AP

Aziz Yildiriam, presidente do clube turco desde 1998, foi condenado em 2012 pelo Supremo Tribunal Federal a seis anos e três meses de prisão por suspeitas de combinação de resultados e de constituição de uma organização criminosa.

Depois de ter ficado preso durante um ano, Yildiriam apresentou recurso, foi libertado sob fiança e em junho de 2014 foi decretada a realização de um novo julgamento.

A absolvição de Aziz Yildiriam e de 13 outros acusados tinha sido pedida esta semana pelo Ministério Público turco.

A condenação original de viciação de resultados resultou no afastamento do Fenerbahçe das competições europeias por duas épocas.

Lusa

  • "Tudo o que o Benfica está a fazer é uma forma de coação"
    1:59
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    As queixas do Benfica contra a Federação Portuguesa de Futebol e a Liga foram tema de debate no Play-Off da SIC Notícias. Rodolfo Reis, Manuel Fernandes e Rui Santos acreditam que a posição está relacionada com o clássico Benfica-Porto do próximo sábado. Já João Alves considera que estes comunicados podem prejudicar o Benfica.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41
  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.