sicnot

Perfil

Desporto

Hamilton vence na Rússia e pode revalidar título mundial de Fórmula 1 nos EUA

A vitória no Grande Prémio do Rússia deixou hoje Lewis Hamilton, da Mercedes, mais perto da revalidação do título mundial de Fórmula 1, que o britânico pode assegurar dentro de 15 dias nos Estados Unidos.

Ivan Sekretarev

Em Sochi, Hamilton aproveitou bem o abandono do seu companheiro de equipa e um dos seus principais perseguidores na corrida ao título, o alemão Nico Rosberg, e assumiu a liderança da prova à sétima volta para 'selar' a sua 42.ª vitória em provas do Mundial.

Depois de há 15 dias ter igualado o brasileiro Ayrton Senna, ao alcançar a 41.ª vitória da carreira, hoje o britânico conseguiu o 42.º e 'colou-se' a Sebastian Vettel no terceiro lugar da lista de pilotos com mais vitórias, liderada por Michael Schumacher, com 91 triunfos.

Na 15.ª prova do campeonato do mundo, Lewis Hamilton, que completou as 53 voltas à pista do Autódromo de Sochi em 1:37.11,024 horas, terminou à frente do alemão Sebastian Vettel (Ferrari) e do mexicano Sergio Pérez (Force India), que completaram o pódio.

A quatro corridas do final e com 100 pontos em disputa, o britânico passou a somar 302 e alargou a vantagem para o segundo classificado, agora Sebastian Vettel, que tem 236, enquanto Nico Rosberg caiu para terceiro, com 229.

No circuito das Américas, em Austin, nos Estados Unidos, Hamilton precisa de fazer mais 10 pontos do que Vettel e mais do que Rosberg, para repetir as conquistas do título de 2008 e 2014.

"Quero continuar a pensar corrida a corrida", afirmou o britânico pouco depois de ter garantido o nono triunfo da temporada, lamentando que o abandono de Rosberg tenha "feito a equipa perder um dos carros".

No entanto, a marca alemã acabou por assegurar a reconquista do título mundial de construtores, depois de o finlandês Kimi Räikkonen (Ferrari), que terminou em quinto lugar, ter sido penalizado com 30 segundos e descido ao oitavo posto, por ter provocado um acidente com o seu compatriota Valterri Bottas (Williams).

O incidente protagonizado por Räikkonen e Bottas acabou por beneficiar o mexicano Sergio Perez (Force India) que depois de ter perdido o terceiro lugar na penúltima volta, ao ser ultrapassado pelos dois finlandeses, acabou por recuperá-lo e chegar ao pódio.

O espanhol Carlos Sainz Jr (Toro Rosso), que no sábado sofreu um aparatoso acidente que o obrigou a ser hospitalizado, voltou a estar em foco ao protagonizar uma saída de pista a seis voltas do fim, devido a problemas de travões.

O brasileiro Felipe Massa (Williams) foi quarto, enquanto o russo Danill Kvyat (Red Bull) foi o primeiro a beneficiar da penalização imposta a Räikkonen, subindo do sexto para o quinto lugar depois de revista a classificação.

Felipe Nasr (Sauber) foi sexto, à frente de Pastor Maldonado e de Räikkonen, sétimo e oitavo, respetivamente. Terminaram ainda em lugares pontuáveis os McLaren de Jenson Button e Fernando Alonso, mas o espanhol também foi penalizado em cinco segundos e perdeu a posição para Max Verstappen (Toro Rosso), caindo para 11.º.

A 16.ª das 19 provas do Mundial está marcada para 25 de outubro nos Estados Unidos, ficando por disputar os Grandes Prémios do México, do Brasil e de Abu Dhabi.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.