sicnot

Perfil

Desporto

Pelé considera Leo Messi o "melhor jogador da última década"

O antigo futebolista brasileiro Pelé afirmou hoje que o argentino Leo Messi é "o melhor jogador da última década", durante uma conferência de imprensa na cidade de Calcutá, na Índia, a convite do clube local.

2012 - - O argentino Lionel Messi bate o máximo de golos do brasileiro Pelé num ano, ao passar a contar 76 tentos em 2012, com o "bis" em Maiorca (4-2), na 11.ª jornada da Liga espanhola de futebol.

2012 - - O argentino Lionel Messi bate o máximo de golos do brasileiro Pelé num ano, ao passar a contar 76 tentos em 2012, com o "bis" em Maiorca (4-2), na 11.ª jornada da Liga espanhola de futebol.

© Sergio Perez / Reuters

"Muita gente compara Messi a Ronaldo, mas eles são diferentes. São ambos fantásticos, mas Messi é o melhor jogador da última década", atirou o 'Rei', que considerou o compatriota Neymar um dos melhores jogadores do mundo.

Durante a conferência, Pelé aproveitou para esclarecer que não tem nenhuma intenção de se candidatar à presidência da FIFA.

"Não, não tenho nenhuma intenção de ser presidente da FIFA", afirmou o brasileiro, de 74 anos, três vezes campeão mundial pela 'canarinha'.

Pelé foi convidado para assistir à primeira partida Atlético de Calcutá no seu estádio, regressando assim à Índia 38 anos depois de lá ter jogado com a camisola do Cosmos, equipa norte-americana.

Lusa

  • Trabalharia horas extra sem ser pago? E feriados?  
    1:25
  • UE dá "luz verde" para início das negociações do Brexit

    Brexit

    Os 27 Estados-membros da União Europeia aprovaram esta segunda-feira a autorização para o início das negociações do Brexit, indicando formalmente o final de junho para início do processo de saída do Reino Unido, que se prolongará por dois anos.

  • Regras secretas do Facebook permitem divulgação de imagens violentas

    Mundo

    A política interna da empresa Facebook defende que nem todos os vídeos violentos publicados na rede social devem ser apagados porque "não quer censurar ou punir pessoas em perigo". A revelação é feita pelo jornal britânico The Guardian após uma investigação em que conseguiu ter acesso ao manual interno.