sicnot

Perfil

Desporto

Sam Allardyce chama "arrogante" a Wenger e diz que Benítez se "acha superior"

Sam Allardyce, novo treinador do Sunderland da I Liga inglesa de futebol, criticou esta terça-feira o francês Arsène Wenger pela sua "arrogância" e o espanhol Rafael Benítez, afirmando que o técnico do Real Madrid tem um "complexo de superioridade".

Em entrevista ao jornal The Sun, Allardyce garante que Wenger o odiava por ganhar ao Arsenal, quando orientava o Bolton. (Arquivo)

Em entrevista ao jornal The Sun, Allardyce garante que Wenger o odiava por ganhar ao Arsenal, quando orientava o Bolton. (Arquivo)

Sang Tan / AP

Em entrevista ao jornal The Sun, Allardyce, que assinou pelo Sunderland a 9 de outubro, garante que Wenger o odiava por ganhar ao Arsenal quando orientava o Bolton.

"Ele odiava-me. E aos meus jogadores também. Ganhávamos mais vezes [ao Arsenal] do que o esperado e ele não suportava isso", afirmou o novo técnico dos 'black cats'.

Allardyce recorda um momento num dos duelos com Wenger, após um empate do Bolton em Highbury, antigo estádios dos 'gunners'.

"Houve um momento em que ele disse que não me cumprimentava. Depois de um empate em Highbury, rasgou a gravata e não me cumprimentou. É arrogante. É um grande treinador mas não é o tipo de pessoa que se convida para o escritório depois do jogo", acrescentou o técnico que também comandou o Newcastle, Blackburn e West Ham.

O britânico também não poupa críticas a Rafa Benítez, que afirma sentir-se superior.

"O Benítez é outra coisa. Quando ganhei ao seu Liverpool ficou sempre a lamentar-se. Não conseguiu aceitar que jogámos melhor. Não reconheceu o nosso mérito. Acha que é superior ", reiterou Allardyce.

Apesar de reconhecer que o atual treinador dos 'merengues' já conquistou uma Liga dos Campeões, Allardyce garante que essa conquista se deve ao capitão Steven Gerrard e não há liderança de Benítez.

Depois de quatro épocas ao serviço do West Ham, Allardyce assumiu agora o comando técnico do Sunderland, equipa que ocupa o 19º e penúltimo lugar da tabela classificativa.

Lusa

  • PS vai continuar a procurar entendimentos à esquerda
    1:38
  • Carlos César admite diálogo "mais fácil" com PSD de Rio
    1:36

    País

    O presidente e líder parlamentar do PSD diz que o partido não precisa de novos aliados, mas acredita que vai ser mais fácil dialogar com o PSD liderado por Rui Rio, Carlos César visitou esta segunda-feira as regiões afetadas pelos incêndios do ano passado, no primeiro dia das jornadas parlamentares dos socialistas.

  • 22 mortos devido a gripe H1N1 no Equador

    Mundo

    Uma epidemia de gripe H1N1 provocou a morte de 22 pessoas no Equador, onde estão diagnosticados perto de 500 casos, anunciou esta segunda-feira o vice-ministro da Saúde, Carlos Duran.

  • Benfica é o único clube português na lista dos mais ricos
    1:34
  • Papa pede perdão a vítimas de abusos por ter usado expressão "menos feliz"
    1:21

    Mundo

    No final da visita à América Latina, já no avião de regresso a Roma, o Papa Francisco pediu desculpa às vítimas de abusos sexuais no Chile. O líder da Igreja católica considerou que utilzou uma expressão menos "feliz" quando saiu em defesa do bispo Juan Barros, exigindo "provas" a quem o acusa de não ter agido.

  • Os três pontos de Ronaldo
    1:16
  • Decifrado pergaminho encontrado há 50 anos

    Mundo

    Investigadores israelitas reconstituíram e decifraram um dos dois manuscritos de pergaminhos do Mar Morto que nunca tinham sido interpretados desde que foram descobertos há meio século, anunciou a universidade israelita de Haifa.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC