sicnot

Perfil

Desporto

Bicampeão da NBA internado de urgência consumiu cocaína

A polícia do estado norte-americano do Nevada afirmou, esta quarta-feira, que os funcionários do bordel onde Lamar Odom foi encontrado inconsciente indicaram que a antiga estrela da NBA, que foi internado da urgência, tinha consumido cocaína.

Odom representou os Lakers entre 2004 e 2011, tendo deixado temporariamente a NBA em 2013, após uma época ao serviço dos Los Angeles Clippers. (Arquivo)

Odom representou os Lakers entre 2004 e 2011, tendo deixado temporariamente a NBA em 2013, após uma época ao serviço dos Los Angeles Clippers. (Arquivo)

© Lucas Jackson / Reuters

Lamar Odom, bicampeão da Liga Norte-americana de Basquetebol (NBA) pelos Los Angeles Lakers, em 2009 e 2010, de 35 anos, continua internado em Las Vegas, enquanto prossegue a investigação relativamente à suspeita de uso de drogas.

Sharon Wehrly, porta-voz da polícia, afirmou ter recebido uma chamada dos serviços de emergência (911, nos EUA) de dois funcionários que davam conta de que um homem havia sido encontrado inconsciente e que tinha consumido cocaína pelo menos no sábado anterior.

Os mesmos funcionários relataram ainda que também havia consumido substâncias para melhorar o desempenho sexual.

O basquetebolista, que depois de encontrado inconsciente, na terça-feira, na casa noturna "Love Ranch", em Crystal (Nevada), a 112 quilómetros de Las Vegas, foi transportado de ambulância para uma unidade hospitalar próxima em Pahrump, encontra-se atualmente no Sunrise Hospital e Medical Center, em Las Vegas.

As autoridades não têm facultado pormenores sobre o estado de saúde de Lamar Odom, mas diversos meios de comunicação social norte-americanos relataram que o basquetebolista estava em estado grave e até que "luta pela vida".

Odom representou os Lakers entre 2004 e 2011, tendo deixado temporariamente a NBA em 2013, após uma época ao serviço dos Los Angeles Clippers.

Em abril de 2014, chegou a assinar pelos New York Knicks para a reta final da temporada, mas acabou dispensado pela equipa três meses depois.

Para além dos dois títulos pelos Lakers, Odom conta também no currículo a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos Atenas 2004 e o título mundial em 2010, no campeonato disputado na Turquia.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.