sicnot

Perfil

Desporto

UEFA e as suas 54 associações manifestam apoio a Michel Platini

O Comité Executivo da UEFA, bem como as 54 associações que o compõem, manifestaram hoje o apoio a Michel Platini, presidente do organismo que se encontra atualmente suspenso por um período de 90 dias.

AP/Arquivo

AP/Arquivo

Jacques Brinon / AP

Na conferência que sucedeu a reunião desta manhã, presidida pelo primeiro vice-presidente do organismo (o espanhol Ángel María Villar), Gianni Infantino, secretário-geral da UEFA, explicou que espera que Platini seja julgado de maneira justa, tendo em conta as acusações de ter recebido de forma ilícita um pagamento de Joseph Blatter, presidente da FIFA, que está também suspenso.

"Esperamos que este processo tenha um juízo justo e que, por isso, Platini tenha a oportunidade de limpar o seu nome", disse.

Infantino disse ainda que o organismo se mostra contra o adiamento das eleições da FIFA, previsto para o congresso extraordinário da organização que superintende o futebol mundial, que se realiza no próximo dia 26 de fevereiro.

Lusa

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • Morreu Yoshe Oka, a "hibakusha" que avisou o Japão sobre o ataque a Hiroshima

    Mundo

    Yoshe Oka, a primeira sobrevivente de Hiroshima que informou por telefone as autoridades japonesas sobre a destruição da cidade, em 1945, morreu com 86 anos, vítima de cancro, revelou hoje a família. A "hibakusha", nome pelo qual são conhecidos os sobreviventes dos ataques a Hiroshima e Nagasaki, sofria de doenças relacionadas com os efeitos do bombardeamento. Apesar das consequências do ataque, Oka difundiu, ao longo da vida, a experiência sobre o bombardeamento tendo participado em inúmeros atos pacifistas.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06