sicnot

Perfil

Desporto

"Se queriam tanto um jogador, como diziam, esperavam que terminasse o contrato?"

O futebolista internacional uruguaio Maxi Pereira disse que os responsáveis do Benfica "não fizeram muito" para renovar o seu contrato e que a transferência para o FC Porto, após oito anos no clube lisboeta, "foi um golpe".

O defesa, de 31 anos, afirmou que se sentiu "um pouco magoado" com o alheamento do Benfica, considerando que no clube lisboeta não lhe "davam o devido valor": "E o FC Porto veio buscar-me", assinalou.

O defesa, de 31 anos, afirmou que se sentiu "um pouco magoado" com o alheamento do Benfica, considerando que no clube lisboeta não lhe "davam o devido valor": "E o FC Porto veio buscar-me", assinalou.

Steven Governo / AP

"Estive oito anos no Benfica e na última época, quando estava prestes a terminar o contrato, não fizeram muito para o renovar. Se queriam tanto um jogador - como diziam - esperavam que terminasse o contrato? Afinal, não sei se me queriam assim tanto", lamentou Maxi Pereira, em declarações à edição de hoje do diário uruguaio Ovácion.

O defesa, de 31 anos, afirmou que se sentiu "um pouco magoado" com o alheamento do Benfica, considerando que no clube lisboeta não lhe "davam o devido valor": "E o FC Porto veio buscar-me", assinalou.

"De início foi um pouco complicado. É normal, atendendo à rivalidade que existe [entre os dois clubes]. Foi um golpe", notou o jogador uruguaio, cuja contratação foi oficialmente anunciada pelo FC Porto a 15 de julho.

Maxi Pereira transferiu-se em 2007/2008 dos uruguaios do Defensor Sporting para o Benfica, ao serviço dos quais conquistou três campeonatos portugueses, seis Taças da Liga, uma Taça de Portugal e uma Supertaça.

Com Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.