sicnot

Perfil

Desporto

"Se queriam tanto um jogador, como diziam, esperavam que terminasse o contrato?"

O futebolista internacional uruguaio Maxi Pereira disse que os responsáveis do Benfica "não fizeram muito" para renovar o seu contrato e que a transferência para o FC Porto, após oito anos no clube lisboeta, "foi um golpe".

O defesa, de 31 anos, afirmou que se sentiu "um pouco magoado" com o alheamento do Benfica, considerando que no clube lisboeta não lhe "davam o devido valor": "E o FC Porto veio buscar-me", assinalou.

O defesa, de 31 anos, afirmou que se sentiu "um pouco magoado" com o alheamento do Benfica, considerando que no clube lisboeta não lhe "davam o devido valor": "E o FC Porto veio buscar-me", assinalou.

Steven Governo / AP

"Estive oito anos no Benfica e na última época, quando estava prestes a terminar o contrato, não fizeram muito para o renovar. Se queriam tanto um jogador - como diziam - esperavam que terminasse o contrato? Afinal, não sei se me queriam assim tanto", lamentou Maxi Pereira, em declarações à edição de hoje do diário uruguaio Ovácion.

O defesa, de 31 anos, afirmou que se sentiu "um pouco magoado" com o alheamento do Benfica, considerando que no clube lisboeta não lhe "davam o devido valor": "E o FC Porto veio buscar-me", assinalou.

"De início foi um pouco complicado. É normal, atendendo à rivalidade que existe [entre os dois clubes]. Foi um golpe", notou o jogador uruguaio, cuja contratação foi oficialmente anunciada pelo FC Porto a 15 de julho.

Maxi Pereira transferiu-se em 2007/2008 dos uruguaios do Defensor Sporting para o Benfica, ao serviço dos quais conquistou três campeonatos portugueses, seis Taças da Liga, uma Taça de Portugal e uma Supertaça.

Com Lusa

  • Médicos e ministro da Saúde voltam hoje às negociações

    País

    O Ministério da Saúde deverá apresentar uma proposta que poderá ser decisiva para a convocação ou não de uma nova greve. O Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos tinham anunciado, no dia 11 de agosto, que vão realizar uma greve de dois dias na primeira semana de outubro, se a nova proposta negocial não levar em conta o que reivindicam.

  • PJ de Portimão deteve italiano foragido
    0:55

    País

    A Polícia Judiciária de Portimão deteve em Lagos um homem italiano que aguardava extradição. O antigo piloto de automóveis esteve foragido durante quase um ano, depois de ter cortado a pulseira eletrónica.