sicnot

Perfil

Desporto

Manuel Machado quer vencer Boavista mas alerta para as dificuldades

O treinador do Nacional, Manuel Machado, alertou hoje os seus jogadores para as dificuldades que o Boavista vai causar na Choupana, no jogo que abre a oitava jornada da I Liga portuguesa de futebol, na sexta-feira.

LUSA

O técnico dos 'alvinegros' prevê um Boavista muito forte, destacando a robustez física do adversário como arma a ter em conta no Estádio da Madeira, no Funchal, cujo relvado não está nas melhores condições, devido às chuvas.

"Este é um jogo de grande dificuldade e não o digo da boca para fora. O nosso adversário tem um futebol mais padronizado, em relação aos outros concorrentes. É uma equipa muito organizada defensivamente e apresenta robustez física nas suas diversas ações", sublinhou Manuel Machado, durante a conferência de imprensa de antevisão ao jogo.

Machado considera que, para a sua equipa ter sucesso e poder somar os três pontos, será preciso "trabalhar muito", destacando ainda "a agressividade defensiva" do Boavista, daí ter afirmando que espera que "o futebol ofensivo do Nacional se sobreponha ao jogo defensivo dos 'axadrezados'".

Ainda assim, adiantou que o Boavista não é apenas "uma equipa defensiva", uma vez que, segundo reconheceu "também cria dissabores em termos ofensivos".

Em suma, Manuel Machado não atribui favoritismo a nenhuma das equipas, mas esclarece que o Nacional "vai a jogo para vencer, pois em casa teremos que conquistar os pontos necessários para chegarmos ao nosso objetivo", observou.

O Nacional, 12.º classificado, com sete pontos, e o Boavista, 11.º colocado, com oito, defrontam-se a partir das 20:30 de sexta-feira, em jogo da oitava jornada da I Liga de futebol que será arbitrado por João Capela, da associação de Lisboa.

Lusa

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis - avaliação interna ao FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela 'troika' em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),

  • 64, 65 ou 73, afinal quantas são as vítimas de Pedrógão?
    1:27
  • A Minha Outra Pátria
    29:53