sicnot

Perfil

Desporto

Chelsea não resiste a expulsões de Mourinho e Matic e perde 2-1 com West Ham

O Chelsea foi hoje incapaz de resistir à expulsão do treinador português José Mourinho e do médio sérvio Nemanja Matic, perdendo por 2-1 no estádio do West Ham, em jogo da 10.ª jornada da Liga inglesa de futebol.

Reuters

Reuters

© Reuters Staff / Reuters

Mourinho foi expulso durante o regresso das equipas aos balneários, no intervalo, por protestar com o árbitro Jon Moss, já depois de Matic e o português Silvino Louro, treinador de guarda-redes, terem também sido excluídos da partida, ainda durante a primeira parte.

O West Ham inaugurou o marcador aos 17 minutos, por intermédio do avançado argentino Mauro Zárate, mas os 'blues' ficaram muito perto de empatar, quando a bola rematada pelo francês Kurt Zouma entrou na baliza dos anfitriões, mas não na totalidade.

A situação do campeão inglês, adversário do FC Porto no Grupo G da Liga dos Campeões, agravou-se perto do intervalo, quando Matic foi punido com o segundo cartão amarelo e foi expulso, tal como aconteceu pouco depois com Silvino, por contestar a decisão de Moss.

Mesmo em inferioridade numérica e com o treinador longe do banco de suplentes, o Chelsea reentrou na discussão pelo triunfo graças a um golo do defesa Gary Cahill, aos 56 minutos, mas o avançado Andy Carroll deitou por terra as expetativas dos 'blues', ao marcar o segundo golo do West Ham, aos 79.

O campeão inglês sofreu a quinta derrota no campeonato, em 10 jogos, e está cada vez mais longe do topo da classificação, ocupando um modesto 15.º lugar (três acima da zona de despromoção), enquanto o West Ham confirma-se com uma das sensações da prova, subindo provisoriamente ao segundo posto, a um ponto do líder Manchester City.

O Chelsea, que apenas venceu um dos cinco encontros realizados na condição de visitante, foi ultrapassado pelo Watford, que se impôs por 2-0 no recinto do Stoke City, pelo West Bromwich, que triunfou por 1-0 na visita ao estádio do Norwich, e pelo Swansea, vencedor por 2-1 da deslocação ao reduto do Aston Villa.

A expulsão de Mourinho pode custar ao clube londrino a realização de um jogo à porta fechada, uma vez que tinha essa pena suspensa por 12 meses na sequência das críticas do técnico português ao árbitro Robert Madley, acusado de ter tido medo de marcar um penálti a favor do Chelsea na derrota por 3-1 frente ao Southampton, a 03 de outubro.

Um golo solitário do avançado Jamie Vardy, melhor marcador da competição, com nove remates certeiros, foi suficiente para o Leicester se impor por-10 na receção Crystal Palace e ascender ao quinto lugar, em igualdade com o Manchester United e o Arsenal, que têm menos um jogo disputado.

Lusa

  • Proteção Civil desmobiliza meios em Setúbal

    País

    A Proteção Civil vai começar a desmobilizar, hoje à tarde, meios de combate ao incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal e que já está em fase de rescaldo, disse à agência Lusa o vereador da Proteção Civil Municipal.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • Portugal condenado por decisão "discriminatória e preconceituosa"
    1:19

    País

    Portugal voltou a ser condenado pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, desta vez por causa de uma decisão discriminatória e preconceituosa. Trata-se do caso da mulher a quem o Supremo Tribunal Administrativo baixou o valor de uma indemnização por negligência médica. Entre os vários argumentos usados, os juízes portugueses consideraram que a sexualidade é menos importante quando se tem 50 anos e dois filhos.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26

    País

    O candidato do PSD à Câmara Municipal de Loures, André Ventura, foi entrevistado esta terça-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. Em análise, a polémica em torno das declarações do candidato sobre a comunidade cigana.

    Entrevista SIC Notícias

  • Rajoy nega conhecimento de financiamentos ilegais no PP

    Mundo

    O primeiro-ministro espanhol negou hoje ter conhecimento de um esquema ilegal de financiamento, que envolve vários responsáveis do Partido Popular (PP, direita), que lidera. Durante uma audição no tribunal, Mariano Rajoy garantiu ainda que não aceitou nenhum pagamento ilícito.