sicnot

Perfil

Desporto

Começa em Supertubos 2º dia da etapa portuguesa do circuito mundial de surf

O segundo dia da etapa portuguesa do circuito mundial de surf, o Moche Rip Curl Pro Portugal, arrancou às 08:30 de hoje na praia de Supertubos, em Peniche, com Tiago Pires a abrir a segunda ronda.

Francisco Seco

Ao ser relegado por Mick Fanning, líder do circuito, para a repescagem na segunda ronda, Tiago 'Saca' Pires inaugura o dia de hoje ao competir com o amigo pessoal Adriano de Souza, segundo do 'ranking' mundial e que foi derrotado por Frederico Morais.

Já na segunda-feira, quando conheceu o seu opositor, o surfista da Ericeira, 89.º do circuito de qualificação, lamentou ter de defrontar o amigo 'mineirinho', mas manifestou vontade de o eliminar.

Para o dia de hoje está previsto a realização da segunda ronda desta etapa, num total de 12 'heats'.

Tiago Pires é o único português em prova nesta segunda ronda, uma vez que Vasco Ribeiro e Frederico Morais garantiram a passagem à terceira ronda, ao vencer os seus primeiros 'heats' na segunda-feira.

Owen Wright, Julian Wilson, Jeremy Flores, John John Florence, Joel Parkinson, Kai Otton e CJ Hobgood são alguns dos surfistas que vão estar hoje em prova na segunda ronda.

O período de espera do Moche Rip Curl Pro Portugal, que já conta com três dias de espera, prolonga-se até 31 de outubro, podendo consagrar o australiano Mick Fanning, líder do 'ranking', como tetracampeão do mundo.

Lusa

  • "Não se reconstroem serviços públicos em dois anos"
    0:53

    País

    O Ministro da Saúde diz que os problemas do Serviço Nacional de Saúde não se resolvem em dois anos nem se consegue reverter a trajetória de desinvestimento e delapidação dos serviços públicos até 2019, ou até ao final da legislatura. Em entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Adalberto Campos Fernandes admitiu ainda que é contra a eutanásia, mas garante que o SNS estará pronto a aplicar a lei, se assim for decidido pelo Parlamento.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte I)
    35:45

    Operação Marquês

    A acusação da Operação Marquês diz que, em 5 anos, foram pagos quase 36 milhões de euros de luvas a José Sócrates. A maior fatia veio do Grupo Espírito Santo. O Ministério Público fala em pagamentos por decisões políticas sobre negócios da PT, alegadamente em benefício de Ricardo Salgado. Além de Sócrates, também Zeinal Bava e Henrique Granadeiro terão recebido dezenas de milhões de euros do ex-banqueiro. Nesta primeira parte da reportagem "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês", começamos a seguir do rasto desse dinheiro, conduzidos pelas pistas deixadas à investigação, nos registos secretos de um director do Grupo Espírito Santo.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte II)
    24:59

    Operação Marquês

    O Ministério Público estima que, em apenas 8 anos, a ES Enterprises movimentou mais de três mil milhões de euros. E sempre à margem de qualquer controlo. Na tese da Operação Marquês, foi desta empresa fantasma que saiu a maior parte das luvas alegadamente pagas por Ricardo Salgado a José Sócrates, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro e Hélder Bataglia, por causa dos negócio da PT. Na primeira parte da grande reportagem "Oui, Monsieur - o saco azul do marquês" vimos como o chumbo da OPA da SONAE à PT terá sido o primeiro desses negócios.Agora, olhamos para outros pagamentos milionários e procuramos perceber o que está atrás desse alegado saco azul. A investigação concluiu que era financiado através de operações financeiras complexas, por vezes com dinheiro dos clientes do BES.