sicnot

Perfil

Desporto

Miguel Oliveira vence Grande Prémio da Malásia

galeria de fotos

O português Miguel Oliveira (KTM) venceu hoje a corrida de Moto3 do Grande Prémio da Malásia, 17.ª prova do Mundial de velocidade.

EPA

EPA

EPA

EPA

EPA

EPA

EPA

EPA

O piloto de Almada terminou a corrida em 40.33,277 minutos, à frente do sul-africano Brad Binder (KTM) e do espanhol Jorge Navarro (Honda), que ficou em terceiro.

Miguel Oliveira partiu da terceira posição da grelha, depois de ter sido também o terceiro mais rápido nos treinos livres.

Com o triunfo na corrida do Grande Prémio da Malásia, a penúltima prova do Mundial de velocidade, o piloto português, de 20 anos, manteve-se no segundo lugar da classificação, estando a 24 pontos do britânico Danny Kent (Honda), atual líder do campeonato.

Único português que já conseguiu subir ao pódio no Campeonato do Mundo de motociclismo de velocidade, Miguel Oliveira somou hoje a quinta vitória na atual temporada, depois das conquistas em Itália, Holanda, Espanha (Grande Prémio de Aragão) e Austrália.

No próximo ano, Miguel Oliveira será 'promovido' à categoria de Moto2, escalão intermédio, ao serviço da Leopard Racing.

Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21