sicnot

Perfil

Desporto

Beckenbauer assume erro enquanto responsável pelo Mundial2006

O antigo futebolista alemão Franz Beckenbauer assumiu esta segunda-feira que cometeu um "erro" enquanto presidente do comité organizador do Mundial de 2006, na Alemanha, mas garante que não comprou votos para ter o direito de sediar a prova.

Em comunicado, Beckenbauer admite que errou ao não rejeitar uma "proposta" que foi feita pela Comissão de Finanças da FIFA e assumiu a responsabilidade por isso. (Arquivo)

Em comunicado, Beckenbauer admite que errou ao não rejeitar uma "proposta" que foi feita pela Comissão de Finanças da FIFA e assumiu a responsabilidade por isso. (Arquivo)

Markus Schreiber / AP

Em comunicado, Beckenbauer admite que errou ao não rejeitar uma "proposta" que foi feita pela Comissão de Finanças da FIFA e assumiu a responsabilidade por isso, explicando que já esclareceu toda a situação perante a Comissão de Investigação Externa criada pela federação alemã para investigar uma eventual compra de votos.

Sem adiantar qual foi a proposta recebida pela FIFA, o 'Kaiser' limitou-se a afirmar que essa entidade lhe fez uma proposta que, sob a perspetiva de hoje, deveria ter sido rejeitada, mas reitera que nenhum voto foi comprado.

Segundo revelou na semana passada o presidente da federação alemã, Wolfgang Niersbach, a FIFA pediu a Beckenbauer um pagamento de 6,7 milhões de euros como condição para receber uma subvenção de 170 milhões.

Segundo Niersbach, a condição da FIFA foi aceite e esse pagamento foi suportado pelo então presidente da marca desportiva Adidas, Robert Louis-Dreyfus, falecido em 2008, com o dinheiro a ser devolvido pela federação a Louis-Dreyfus em 2005.

Na votação, que decorreu no ano de 2000, a Alemanha ganhou o direito de organizar o campeonato do mundo de futebol por uma vantagem de um voto, tendo conquistado 12, contra os 11 da África do Sul, após a abstenção do neozelandês Charles Dempsey.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.