sicnot

Perfil

Desporto

Grupo de sócios da Académica quer destituir direção para evitar "descalabro"

O grupo de sócios da Académica que requereu uma Assembleia-Geral Extraordinária para destituição da direção disse esta segunda-feira que pretende evitar o descalabro desportivo e financeiro do clube, que, no seu entender, está em "insolvência técnica".

O presidente da Académica, José Eduardo Simões. (Arquivo)

O presidente da Académica, José Eduardo Simões. (Arquivo)

Lusa

"O primeiro subscritor e o grupo de sócios que o acompanhou, garantiram à Mesa da Assembleia-Geral que, a ser aprovada a destituição da direção na Assembleia requerida, estão prontos e apresentarão aos sócios, em eleições, uma equipa agregadora, competente e credível para recuperar a identidade da Académica, a sua competitividade desportiva e a sustentabilidade financeira, reativando a relação com os sócios, com a cidade, com os parceiros e com os academistas espalhados por todo o mundo", lê-se num comunicado emitido hoje.

Segundo o documento, o requerimento com mais de duas centenas de assinaturas tem como primeiro subscritor o sócio João Vasco Ribeiro, membro do Conselho Académico e inclui ex-presidentes da direção geral da Académica, o ex-presidente da Casa da Académica de Lisboa, membros dos atuais e dos anteriores corpos sociais, dirigentes da Mancha Negra, do Núcleo de Veteranos e do Movimento 'Académica 100% dos sócios'.

"Este requerimento surge na sequência da aprovação de uma moção de censura ao presidente da direção da Académica por via do trânsito em julgado da decisão judicial que o condenou pelo crime de corrupção passiva, aprovada por cerca de 70% dos sócios reunidos em Assembleia Geral realizada a 19 de fevereiro de 2015, numa das assembleias mais participadas da vida da instituição", refere o comunicado.

Na sequência do requerimento de destituição, o presidente da Académica, José Eduardo Simões, revelou sábado que a direção do clube vai solicitar à mesa da assembleia-geral a marcação de eleições para o final da época 2015/2016, antecipando um ato previsto para 2017.

"Entende a direção da Académica e o seu presidente, bem como a gerência da SDUQ, comunicar que é sua intenção solicitar à mesa da assembleia-geral a antecipação do ato eleitoral estatutariamente previsto para 2017, ato esse que, deste modo, se deverá realizar no final da presente temporada desportiva 2015/2016", leu o responsável, num comunicado após o empate da 'briosa' em Guimarães (1-1).

Os sócios que requerem a destituição da direção liderada por José Eduardo Simões consideram que "o facto de a Académica ter uma direção demissionária, torna urgente a marcação da Assembleia Geral de destituição e a subsequente marcação de eleições, em tempo útil".

"Com a sua demissão a prazo, a direção colocou a Académica numa situação de enorme fragilidade interna e externa, vulnerabilizando a equipa, os patrocinadores, os agentes desportivos e económicos e enfraquecendo de forma insustentável a sua margem negocial", sublinham os subscritores.

José Eduardo Simões ganhou, a 31 de maio de 2014, as eleições que o conduziram a um quarto mandato à frente da Académica, com 906 votos, mais 15 do que o adversário, Nuno Teodósio Oliveira, embora Alfredo Castanheira Neves, da lista do último, tenha vencido para a mesa da assembleia-geral.

Lusa

  • França e Rússia criam grupo de trabalho contra o terrorismo
    1:00

    Mundo

    França e Rússia vão criar um grupo de trabalho para lutar contra o terrorismo. A proposta partiu do Presidentre francês e foi anunciada por Vladimir Putin. Na conferência de imprensa conjunta, o Presidente russo explicou que ambos falaram também da Coreia do Norte.    

  • Obrigada a vir dos EUA, de 3 em 3 semanas, para ver o filho
    2:00
  • Marcelo diz que Europa não deve contar com benevolência dos aliados 
    1:19

    País

    O Presidente da República concorda com Angela Merkel, que este domingo defendeu que a Europa já não pode confiar a 100% nos países aliados. Numa conferência sobre o futuro da Europa, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que a União Europeia tem de assumir responsabilidades e protagonismo e não pode contar com a iniciativa e a benevolência dos aliados.

  • Novos casos de tuberculose caíram para metade

    País

    Portugal reduziu para metade o número de novos casos de tuberculose entre 2000 e 2016, segundo um relatório hoje divulgado, que mostra que, no ano passado, a taxa de incidência da doença foi de 18 por 100 mil habitantes.

  • Julgamento de Pedro Dias só deve começar após as férias judiciais
    2:59

    País

    O Tribunal da Guarda vai juntar o homicídio de Liliane Pinto ao processo principal dos crimes de Aguiar da Beira. Pedro Dias será interrogado em julho, mas o julgamento só deve começar depois das férias judiciais. No interrogatório judicial de 10 de novembro do ano passado, Pedro Dias ficou em silêncio.

  • Angola confirma pela 1ª vez que José Eduardo dos Santos está em Espanha por motivos de saúde

    Mundo

    É a primeira vez que o governo de Luanda admite, oficialmente, que o Presidente José Eduardo dos Santos sentiu-se mal e está a receber assistência médica em Espanha. Com 74 anos, os últimos 38 como Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos tem feito visitas regulares a Barcelona para efetuar exames médicos, mas nem uma palavra sobre as suspeitas de que o Chefe de Estado angolano teria sofrido um AVC recentemente.

  • Merkel sugere que a Europa já não pode contar com aliados como os EUA
    1:45

    Mundo

    Depois das cimeiras do G7 e da NATO,e sem nunca mencionar Donald Trump, a chanceler alemã diz que é tempo de cada país tomar conta do próprio destino. As declarações de Angela Merkel foram feitas em Munique numa ação de campanha da CDU e evidenciam incómodo em relação às posições manifestadas pelos EUA.

  • Bombeiro alvejado durante assalto em Buenos Aires
    1:07

    Mundo

    A polícia argentina está a investigar o assalto e a agressão a tiro a um bombeiro em Buenos Aires. O homem de 30 anos foi atacado por três jovens, o momento foi captado pelas câmaras de videovigilância. As imagens mostram o exato momento em que o bombeiro foi atacado pelo grupo, perto de um quiosque de alimentação automático. De acordo com as informações disponíveis, a vítima terá sido alvejada seis vezes.