sicnot

Perfil

Desporto

Honda acusa Rossi de derrubar Marc Marquez propositadamente

O vice-presidente da Honda Racing, Shuhei Nakamoto, disse esta segunda-feira que o motociclista italiano Valentino Rossi (Yamaha) derrubou de propósito o espanhol Marc Marquez no Grande Prémio da Malásia, penúltima prova do Mundial de motociclismo.

Rossi (E) vai começar o último Grande Prémio, no domingo, em Valência, na última posição da grelha devido ao incidente com Marc Marquez (D).

Rossi (E) vai começar o último Grande Prémio, no domingo, em Valência, na última posição da grelha devido ao incidente com Marc Marquez (D).

© Max Rossi / Reuters

"É claro que Valentino fez de propósito para empurrar o Marc para fora da pista, algo que é proibido", declarou Nakamoto, que também é patrão da construtora Honda, numa entrevista publicada no sítio oficial da internet da fabricante.

Rossi lidera o campeonato de MotoGP a sete pontos de distância do espanhol Jorge Lorenzo, mas vai começar o último Grande Prémio, no domingo, em Valência, na última posição da grelha devido ao incidente com Marc Marquez, no qual foi considerado culpado de pontapear o espanhol.

O italiano recorreu da decisão e vai ser ouvido pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) 48 horas antes de a corrida começar, depois de acusar Marquez de "jogo sujo", por ajudar o seu compatriota a ganhar pontos e, desta forma, ficar mais perto do título.

"Os dados da moto do Marc mostram-nos que apesar de ele levantar a moto, tentando evitar contacto com o Valentino, o travão da frente recebeu um impacto súbito que prendeu o pneu da frente, provocando o acidente. Acreditamos que esse impacto tenha sido o pontapé de Rossi", acrescentou ainda Shuhei Nakamoto.

O secretário de Estado do Desporto espanhol, Miguel Cardenal, já comentou o ambiente que envolve a última corrida da temporada, dizendo que espera que "'fair-play' prevaleça".

Lusa

  • Lei existe há quatro anos mas não tem regulamentação
    2:03
  • Dijsselbloem mostra algum arrependimento mas recusa demitir-se
    2:40

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas escusa-se a comentar essa possibilidade. Para já, o holandês não se demite do cargo. Esta quinta-feira ouviu as críticas dos eurodeputados no Parlamento Europeu.

  • Há cada vez menos portugueses

    País

    A população em Portugal diminuiu no ano passado, pelo oitavo ano consecutivo, já que o número de mortes continua a ser superior ao de nascimentos, revelam dados hoje divulgados pelo INE.

  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.