sicnot

Perfil

Desporto

João Sousa na melhor posição de sempre do ranking mundial

O tenista português João Sousa deu hoje um 'salto' de 12 lugares para a 34.ª posição do 'ranking' mundial, a sua melhor classificação de sempre, um dia depois de ter ganhado o torneio de Valência, Espanha.

© Thomas Peter / Reuters

João Sousa tinha como melhor classificação o 35.º posto, alcançado em julho de 2014, e que já era a melhor de sempre de um português, mas o triunfo em Valência, o segundo que conquistou no circuito, depois de Kuala Lumpur, em 2013, permitiu-lhe agora fixar-se a quatro 'degraus' dos 30 melhores do mundo.

No topo da classificação, que continua a ser liderada confortavelmente pelo sérvio Nova Djokovic, o suíço Roger Federer regressou ao segundo lugar, graças à vitória no torneio de Basileia, na Suíça.

Três anos e meio depois, o helvético voltou a vencer no circuito o espanhol Rafael Nadal, cuja campanha em Basileia lhe permitiu 'atualizar' igualmente em uma posição a classificação no 'ranking', figurando esta semana no sexto lugar.

No circuito feminino, a 'promoção' mais importante pertenceu a Agnieszka Radwanska, que no domingo se tornou na primeira polaca a conquistar o 'Masters' feminino, em Singapura.

A vitória sobre a checa Petra Kvitova colocou Radwanska no quinto posto da hierarquia, um lugar acima da sua adversária da final de domingo, que desceu um posto da classificação liderada pela norte-americana Venus Williams, a grande ausente do 'Masters.

Michelle Brito, ainda fora dos 'courts' devido a lesão, é a portuguesa mais bem classificada, apesar de ter descido duas posições e ser atualmente 216.ª do mundo.

Lusa

  • Seca extrema agrava-se no interior alentejano, produção de trigo pode cair 40%
    6:22

    País

    A falta de chuva está a provocar prejuízos na agricultura, em especial no setor dos cereais, como o trigo que, este ano, deverá registar uma quebra de 40% na produção. O repórter Luís Godinho convidou o agricultor e professor de Ciências Agrárias na Universidade de Évora, Ricardo Freixial, para explicar os prejuízos que a seca está a provocar nas culturas e a sustentabilidade da agricultura portuguesa perante as alterações climáticas.