sicnot

Perfil

Desporto

Turkish Airlines diz que processo relativo a adeptos do FC Porto seguiu para Tribunal

A Turkish Airlines disse hoje que os tribunais vão avaliar os desacatos provocados por quatro adeptos do FC Porto num voo que seguia para Istambul, obrigando a uma aterragem de emergência em Roma, admitindo ainda vir a tomar medidas internas.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Navesh Chitrakar / Reuters

Em resposta à Lusa, a companhia aérea turca explicou que "as autoridades policiais italianas fizeram a intervenção necessária e o assunto seguiu para Tribunal", referindo que poderá ainda tomar medidas internas após a análise do sucedido no voo TK 1450, com destino a Istambul.

Quatro adeptos do FC Porto provocaram no domingo desacatos num avião que seguia para Istambul, na Turquia, levando o comandante a optar por aterrar em Roma, onde aqueles elementos foram expulsos.

"A companhia poderá tomar as ações necessárias, em conformidade com os regulamentos da empresa, estando ainda o processo em avaliação", adiantou o responsável pela comunicação social, Ali Genc, à Lusa.

O líder da claque portista Super Dragões, Fernando Madureira, disse à Lusa que, num voo de uma companhia turca em que seguiam mais de 30 adeptos do FC Porto, quatro criaram problemas com as hospedeiras e o comandante entendeu aterrar em Roma.

Fernando Madureira relatou que os adeptos foram expulsos do avião, mas não foram detidos, e hoje vão prosseguir, por meios próprios, rumo a Israel, para assistir ao desafio do FC Porto quarta-feira em Telavive, para a Liga dos Campeões de futebol.

O voo da Turkish Airlines prosseguiu posteriormente a rota para Istambul, de onde a restante claque seguiu para Telavive.

  • João Galamba deixa de ser porta-voz do PS

    País

    João Galamba vai deixar de ser porta-voz do PS e de integrar a comissão permanente do partido. A nova porta-voz dos socialistas vai ser Maria Antónia Almeida Santos, que já integrava a comissão independente, órgão de direção política do PS.

  • Mariano Rajoy não vai convocar eleições antecipadas
    1:24

    Mundo

    O governo espanhol está por um fio por causa de um processo de corrupção a envolver dirigentes do PP. O PSOE apresentou uma moção de censura e o Ciudadanos pede eleições antecipadas. O chefe do governo, Mariano Rajoy, já disse que não vai convocar eleições.