sicnot

Perfil

Desporto

Buscas na Federação alemã por suspeitas de evasão fiscal e subornos

A sede da Federação Alemã de Futebol (DBF) foi esta terça-feira alvo de buscas policiais, por suspeitas de evasão fiscal relacionadas com o escândalo sobre eventuais subornos para a atribuição do Mundial de 2006.

A DBF é suspeita ter subornado a FIFA, mediante um pagamento de 6,7 milhões de euros, para poder organizar o Campeonato do Mundo de 2006. (Arquivo)

A DBF é suspeita ter subornado a FIFA, mediante um pagamento de 6,7 milhões de euros, para poder organizar o Campeonato do Mundo de 2006. (Arquivo)

© Paulo Whitaker / Reuters

"A pedido do Ministério Público de Frankfurt, o juiz de instrução ordenou as buscas à DBF", revelou um porta-voz da procuradoria da cidade alemã, confirmando a notícias avançada pouco antes pela imprensa germânica.

O mesmo porta-voz esclareceu que as buscas estenderam-se às residências do presidente da DFB, Wolfgang Niersbach, do ex-presidente Theo Zwanziger e do antigo secretário-geral Horst Schmidt.

"Há uma suspeita de evasão fiscal num caso particularmente grave, que tem a ver com os 6,7 milhões de euros", esclareceu o porta-voz, acrescentando que as buscas estão a ser realizadas por cerca de 50 agentes.

A DBF é suspeita ter subornado a FIFA, mediante um pagamento de 6,7 milhões de euros, para poder organizar o Campeonato do Mundo de 2006.

Sobre o valor em causa, o presidente da DBF, Wolfgang Niersbach, já tinha justificado que a federação recebeu os 6,7 milhões de Robert Louis-Dreyfus, antigo chefe da Adidas, para serem posteriormente doados à FIFA em 2002, dois anos após a escolha do país como sede do Mundial.

Segundo o mesmo responsável, esta verba tinha sido canalizada para assegurar uma posterior subvenção de 170 milhões da entidade que gere o futebol mundial.

Na votação para a atribuição da organização do Mundial de 2006, que decorreu no ano de 2000, a Alemanha ganhou o direito de organizar o evento por uma vantagem de um voto, tendo conquistado 12, contra os 11 da África do Sul, após a abstenção do neozelandês Charles Dempsey.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Karlie Kloss, o "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59