sicnot

Perfil

Desporto

Buscas na federação alemã por suspeitas de evasão fiscal e subornos

A sede da Federação Alemã de Futebol (DBF) foi hoje alvo de buscas policiais, por suspeitas de evasão fiscal relacionadas com o escândalo sobre eventuais subornos para a atribuição do Mundial de 2006.

Sede da Federação Alemã de Futebol (DBF)

Sede da Federação Alemã de Futebol (DBF)

© Ralph Orlowski / Reuters

"A pedido do Ministério Público de Frankfurt, o juiz de instrução ordenou as buscas à DBF", revelou um porta-voz da procuradoria da cidade alemã, confirmando a notícias avançada pouco antes pela imprensa germânica.

O mesmo porta-voz esclareceu que as buscas estenderam-se às residências do presidente da DFB, Wolfgang Niersbach, do ex-presidente Theo Zwanziger e do antigo secretário-geral Horst Schmidt.

"Há uma suspeita de evasão fiscal num caso particularmente grave, que tem a ver com os 6,7 milhões de euros", esclareceu o porta-voz, acrescentando que as buscas estão a ser realizadas por cerca de 50 agentes.

A DBF é suspeita ter subornado a FIFA, mediante um pagamento de 6,7 milhões de euros, para poder organizar o Campeonato do Mundo de 2006.

Sobre o valor em causa, o presidente da DBF, Wolfgang Niersbach, já tinha justificado que a federação recebeu os 6,7 milhões de Robert Louis-Dreyfus, antigo chefe da Adidas, para serem posteriormente doados à FIFA em 2002, dois anos após a escolha do país como sede do Mundial.

Segundo o mesmo responsável, esta verba tinha sido canalizada para assegurar uma posterior subvenção de 170 milhões da entidade que gere o futebol mundial.

Na votação para a atribuição da organização do Mundial de 2006, que decorreu no ano de 2000, a Alemanha ganhou o direito de organizar o evento por uma vantagem de um voto, tendo conquistado 12, contra os 11 da África do Sul, após a abstenção do neozelandês Charles Dempsey.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.