sicnot

Perfil

Desporto

Ibrahimovic recebe de Figo o prémio de melhor futebolista sueco

O avançado Zlatan Ibrahimovic ganhou esta segunda-feira a Bola de Ouro da Suécia pela décima vez, recebendo das mãos do português Luís Figo o prémio que distingue anualmente o melhor futebolista daquele país.

"Foi uma grande honra [a presença de Luís Figo]. Eu tenho muitas boas memórias de Luís Figo. Tanto de quando jogámos juntos [pelo Inter Milão] como de quando ele representou outras equipas. Vê-lo jogar era mágico", disse Ibrahimovic.

"Foi uma grande honra [a presença de Luís Figo]. Eu tenho muitas boas memórias de Luís Figo. Tanto de quando jogámos juntos [pelo Inter Milão] como de quando ele representou outras equipas. Vê-lo jogar era mágico", disse Ibrahimovic.

© TT News Agency / Reuters

O jogador do Paris Saint-Germain, de 34 anos, venceu o troféu pela primeira vez em 2005, 'falhou' no ano seguinte, e foi premiado consecutivamente desde 2007, recebendo este ano também o prémio de melhor avançado sueco durante a cerimónia.

"Foi uma grande honra [a presença de Luís Figo]. Eu tenho muitas boas memórias de Luís Figo. Tanto de quando jogámos juntos [pelo Inter Milão] como de quando ele representou outras equipas. Vê-lo jogar era mágico", disse Ibrahimovic.

O avançado é o melhor marcador da equipa nacional, com 59 golos, e também do emblema parisiense, com 115 golos, tendo ultrapassado o português Pauleta, tudo em competições oficiais.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão