sicnot

Perfil

Desporto

Atleta australiano reclama título olímpico face a doping na Rússia

O australiano Jared Tallent, medalha de prata nos 50 quilómetros marcha nos Jogos Olímpicos Londres2012, reclamou o título olímpico, depois do relatório da Agência Mundial Antidopagem (AMA) em relação a doping sistemático no atletismo russo.

O vice-campeão olímpico considera que é demolidor que o tenham deixado correr quando sabiam que tinha enganado. (Arquivo)

O vice-campeão olímpico considera que é demolidor que o tenham deixado correr quando sabiam que tinha enganado. (Arquivo)

© Lucy Nicholson / Reuters

Tallent, que foi segundo classificado em Londres, atrás do russo Sergei Kirdyapkin, duas vezes campeão mundial e que foi suspenso por doping no início do ano, numa pena de três anos e dois meses com efeito retroativo a outubro de 2012.

"As acusações são absolutamente impactantes para perceber que o homem que me ganhou em Londres, Sergei Kirdyapkin, provavelmente deveria ter sido sancionado antes, mas a IAAF manteve a pena para depois dos Jogos", referiu o australiano.

O vice-campeão olímpico considera que é demolidor que o tenham deixado correr quando sabiam que tinha enganado.

"Incomoda-te muito saber que a tua Federação Internacional, o organismo desportivo que devia proteger os atletas limpos, estava a tratar dos aldrabões dopados", acusou o atleta australiano.

Tallent pede agora respostas da IAAF e do seu presidente, Sebastian Coe, que deu à Rússia uma semana para que responda às acusações da AMA.

Também hoje, o responsável da Federação Australiana de Atletismo, Phil Jones, considerou esperar que os resultados de Tallent tenham "o reconhecimento adequado" face ao relatório apresentado na segunda-feira.

O relatório da Comissão Independente (CI) da AMA, tornado público na segunda-feira, recomenda a suspensão da Federação russa de atletismo, por práticas de doping, assim como a retirada da acreditação ao laboratório de Moscovo, cujo diretor foi responsável pela destruição de 1.417 amostras consideradas suspeitas de práticas dopantes.

A AMA quer agora que a Rússia seja impedida de estar nas provas de atletismo dos Jogos do Rio2016, considerando que os resultados de Londres2012 foram "sabotados" pela presença de atletas dopados.

O presidente da IAAF, o britânico Sebastian Coe, vai propor ao conselho diretivo que considere a recomendação da AMA para sancionar a federação russa, numa penalização que poderá levar à suspensão total e retirada dos atletas russos de futuras competições da IAAF.

Lusa

  • Arderam mais duas casas em Mação

    País

    O presidente da Câmara de Mação, distrito de Santarém, disse esta quarta-feira que durante a tarde arderam duas casas em aldeias do concelho e que as chamas que lavram desde domingo estão longe de estar controladas.

  • "Nos últimos 14 anos alertámos que este dia iria voltar"
    3:50

    País

    O vice-presidente da Câmara de Mação diz que se sente humilhado com o recurso a meios espanhóis para o combate ao fogo no concelho. Em entrevista à SIC, António Louro, que é também engenheiro florestal, critica os vários governos e afirma que nada disto teria acontecido se tivessem ouvido os apelos desesperados da autarquia depois do incêndio que, em 2003, destruiu grande parte do concelho.

  • Sócrates diz que Direita quis impedi-lo de candidatura presidencial

    País

    O ex-primeiro-ministro José Sócrates reiterou esta quarta-feira, em declarações aos correspondentes estrangeiros em Portugal, que o processo judicial em que está envolvido resulta de uma campanha orquestrada pela direita para evitar a sua candidatura a Presidente da República.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • Dia dos Avós nasceu em Penafiel
    1:48

    País

    O Dia dos Avós, que hoje se assinala, nasceu por iniciativa de uma habitante de Penafiel. A data foi celebrada no parque da cidade, com centenas de avós.

  • Trump proíbe transgéneros no exército norte-americano

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou esta quarta-feira que as pessoas transgénero não podem servir no exército dos Estados Unidos, justificando a decisão com os "custos médicos enormes" e as perturbações que tal situação envolve.

  • Oposição tenta travar eleição da nova Assembleia Constituinte na Venezuela
    2:14