sicnot

Perfil

Desporto

Atleta australiano reclama título olímpico face a doping na Rússia

O australiano Jared Tallent, medalha de prata nos 50 quilómetros marcha nos Jogos Olímpicos Londres2012, reclamou o título olímpico, depois do relatório da Agência Mundial Antidopagem (AMA) em relação a doping sistemático no atletismo russo.

O vice-campeão olímpico considera que é demolidor que o tenham deixado correr quando sabiam que tinha enganado. (Arquivo)

O vice-campeão olímpico considera que é demolidor que o tenham deixado correr quando sabiam que tinha enganado. (Arquivo)

© Lucy Nicholson / Reuters

Tallent, que foi segundo classificado em Londres, atrás do russo Sergei Kirdyapkin, duas vezes campeão mundial e que foi suspenso por doping no início do ano, numa pena de três anos e dois meses com efeito retroativo a outubro de 2012.

"As acusações são absolutamente impactantes para perceber que o homem que me ganhou em Londres, Sergei Kirdyapkin, provavelmente deveria ter sido sancionado antes, mas a IAAF manteve a pena para depois dos Jogos", referiu o australiano.

O vice-campeão olímpico considera que é demolidor que o tenham deixado correr quando sabiam que tinha enganado.

"Incomoda-te muito saber que a tua Federação Internacional, o organismo desportivo que devia proteger os atletas limpos, estava a tratar dos aldrabões dopados", acusou o atleta australiano.

Tallent pede agora respostas da IAAF e do seu presidente, Sebastian Coe, que deu à Rússia uma semana para que responda às acusações da AMA.

Também hoje, o responsável da Federação Australiana de Atletismo, Phil Jones, considerou esperar que os resultados de Tallent tenham "o reconhecimento adequado" face ao relatório apresentado na segunda-feira.

O relatório da Comissão Independente (CI) da AMA, tornado público na segunda-feira, recomenda a suspensão da Federação russa de atletismo, por práticas de doping, assim como a retirada da acreditação ao laboratório de Moscovo, cujo diretor foi responsável pela destruição de 1.417 amostras consideradas suspeitas de práticas dopantes.

A AMA quer agora que a Rússia seja impedida de estar nas provas de atletismo dos Jogos do Rio2016, considerando que os resultados de Londres2012 foram "sabotados" pela presença de atletas dopados.

O presidente da IAAF, o britânico Sebastian Coe, vai propor ao conselho diretivo que considere a recomendação da AMA para sancionar a federação russa, numa penalização que poderá levar à suspensão total e retirada dos atletas russos de futuras competições da IAAF.

Lusa

  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.