sicnot

Perfil

Desporto

Atleta australiano reclama título olímpico face a doping na Rússia

O australiano Jared Tallent, medalha de prata nos 50 quilómetros marcha nos Jogos Olímpicos Londres2012, reclamou o título olímpico, depois do relatório da Agência Mundial Antidopagem (AMA) em relação a doping sistemático no atletismo russo.

O vice-campeão olímpico considera que é demolidor que o tenham deixado correr quando sabiam que tinha enganado. (Arquivo)

O vice-campeão olímpico considera que é demolidor que o tenham deixado correr quando sabiam que tinha enganado. (Arquivo)

© Lucy Nicholson / Reuters

Tallent, que foi segundo classificado em Londres, atrás do russo Sergei Kirdyapkin, duas vezes campeão mundial e que foi suspenso por doping no início do ano, numa pena de três anos e dois meses com efeito retroativo a outubro de 2012.

"As acusações são absolutamente impactantes para perceber que o homem que me ganhou em Londres, Sergei Kirdyapkin, provavelmente deveria ter sido sancionado antes, mas a IAAF manteve a pena para depois dos Jogos", referiu o australiano.

O vice-campeão olímpico considera que é demolidor que o tenham deixado correr quando sabiam que tinha enganado.

"Incomoda-te muito saber que a tua Federação Internacional, o organismo desportivo que devia proteger os atletas limpos, estava a tratar dos aldrabões dopados", acusou o atleta australiano.

Tallent pede agora respostas da IAAF e do seu presidente, Sebastian Coe, que deu à Rússia uma semana para que responda às acusações da AMA.

Também hoje, o responsável da Federação Australiana de Atletismo, Phil Jones, considerou esperar que os resultados de Tallent tenham "o reconhecimento adequado" face ao relatório apresentado na segunda-feira.

O relatório da Comissão Independente (CI) da AMA, tornado público na segunda-feira, recomenda a suspensão da Federação russa de atletismo, por práticas de doping, assim como a retirada da acreditação ao laboratório de Moscovo, cujo diretor foi responsável pela destruição de 1.417 amostras consideradas suspeitas de práticas dopantes.

A AMA quer agora que a Rússia seja impedida de estar nas provas de atletismo dos Jogos do Rio2016, considerando que os resultados de Londres2012 foram "sabotados" pela presença de atletas dopados.

O presidente da IAAF, o britânico Sebastian Coe, vai propor ao conselho diretivo que considere a recomendação da AMA para sancionar a federação russa, numa penalização que poderá levar à suspensão total e retirada dos atletas russos de futuras competições da IAAF.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.