sicnot

Perfil

Desporto

Miguel Oliveira agradece mensagem a Cavaco e quer MotoGP de regresso a Portugal

Miguel Oliveira agradeceu hoje a mensagem de felicitação do Presidente da República, Cavaco Silva, por ter sido vice-campeão do mundo de Moto3, apelando ao regresso do MotoGP a Portugal.

Miguel Oliveira, vice-campeão do mundo de Moto3.

Miguel Oliveira, vice-campeão do mundo de Moto3.

MANUEL BRUQUE

"Quero agradecer publicamente ao Exmo. Sr. Presidente da República, Cavaco Silva, a sua mensagem de felicitação pública que me dirigiu em resultado do meu elevado nível desportivo. É, sem dúvida, uma honra para mim. Obrigado!", lê-se no Facebook oficial do piloto de Almada.

Vencedor em Itália, Holanda, Aragão, Austrália, Malásia e Valência, Miguel Oliveira (KTM) terminou o Mundial de Moto3 na segunda posição, com 254 pontos, menos seis do que o britânico Danny Kent (Honda), o novo campeão mundial, que chegou a ter mais 110 pontos do que o português, após a 12.ª das 18 provas do campeonato.

"Conhecedor de que se sagrou vice-campeão mundial de Moto3, após uma notável temporada, assinalada com seis vitórias, quero felicitá-lo pelo elevado nível desportivo demonstrado e pelo grande empenho que têm caracterizado o seu percurso e a sua já extraordinária carreira", disse Cavaco Silva.

Na mensagem, o Presidente da República destacou o "esforço e dedicação" que o piloto coloca em competição, considerando-os "um bom augúrio para o novo desafio que colocou a si próprio, ao enfrentar no próximo ano o campeonato mundial de Moto2, assim colocando o nome de Portugal na alta-roda do motociclismo".

"Aceite, em meu nome pessoal e dos portugueses, os parabéns e os desejos sinceros de muitas felicidades pessoais e desportivas", concluiu.

Além de agradecer esta felicitação, Miguel Oliveira apelou ao empenho no regresso de Portugal ao calendário do Mundial de MotoGP, depois de o último Grande Prémio ter sido disputado no autódromo do Estoril em 2012.

"Gostaria também que, num futuro próximo, o Governo e as autoridades competentes, pudessem trazer de volta ao nosso país o MotoGP, colocando à disposição todas as condições ímpares de hospitalidade que temos para oferecer em Portugal e dar-me desta forma a oportunidade de brindar de perto com a nação que me acompanha", rematou Miguel Oliveira.

Em 2016, o piloto natural de Almada vai disputar o Campeonato do Mundo de Moto2, a categoria intermédia do mundial de motociclismo de velocidade, ao serviço da Leopard, tendo Kent como companheiro de equipa, depois de cinco temporadas no Moto3.

Lusa

  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.