sicnot

Perfil

Desporto

Árbitro perde insígnias FIFA após polémica na final da Taça da Argentina

O presidente da Associação de Futebol da Argentina (AFA), Luis Segura, decidiu retirar as insígnias da FIFA ao árbitro Diego Ceballos, após a polémica arbitragem da final da Taça da Argentina.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Fatih Saribas / Reuters

"A AFA informa que, por decisão do seu presidente, o senhor Luis Segura, foi retirado do registo de árbitros internacionais o senhor Diego Ceballos. Esta medida vai ser imediatamente comunicada à FIFA", lê-se no sítio do organismo na Internet.

No passado dia 04 de novembro, Diego Ceballos acabou por ser protagonista da vitória do campeão Boca Juniors frente ao Rosário Central por 2-0, na final da Taça da Argentina.

No encontro da final, o árbitro anulou um golo a Marco Ruben, aos 36 minutos, por alegada posição irregular do avançado do Rosário Central, transformou uma falta fora da área numa grande penalidade que deu o primeiro golo do Boca Juniors e validou ainda o segundo golo dos campeões, obtido aos 89 minutos, por Andres Chaves, que estava em posição irregular.

Diego Ceballos, de 37 anos e internacional desde 2013, já estava suspenso provisoriamente, juntamente com o árbitro assistente Mariano Aumente.

Lusa

  • Eliseu está com gripe e não treinou

    Taça das Confederações

    Eliseu não deverá ser opção para jogo de sábado da seleção nacional, na Taça das Confederações. O jogador está com gripe e não treinou esta manhã em S. Petersburgo. Sem Raphaël Guerreiro, lesionado, Portugal fica sem defesas esquerdos disponíveis.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Johnny Depp sugere assassínio de Trump
    0:31