sicnot

Perfil

Desporto

Blatter teve problemas relacionados com stress mas já recebeu alta hospitalar

Joseph Blatter, presidente suspenso e demissionário da Federação Internacional de Futebol (FIFA), recebeu hoje alta hospitalar, depois de ter estado seis dias internado devido a um quadro de stress, revelou o porta-voz do dirigente suíço.

© Denis Balibouse / Reuters


"Ele [Blatter] teve que estar uns dias no hospital, mas já saiu e está na sua casa em Valais. Vai ficar a descansar até ao início da próxima semana", disse Klaus Stoelhker, em declarações divulgadas pela AFP.

Desde o dia 06 de novembro que o dirigente suíço, de 79 anos, estava internado num hospital de Zurique devido a problemas relacionados com stress.

"Está preparado para continuar a lutar contra o castigo de 90 dias de suspensão de que foi alvo e quer demonstrar que o Comité de Ética não o pode expulsar à força", acrescentou o porta-voz de Blatter.

Além do suíço, também o secretário-geral da FIFA, o francês Jérôme Valcke, e o presidente da UEFA, o francês Michel Platini, foram suspensos provisoriamente por 90 dias pelo Comité de Ética da FIFA a 08 de outubro, por implicação no escândalo de corrupção que atingiu a instituição.

Na base das suspensões decididas pelo Comité de Ética estão os inquéritos que decorrem no próprio órgão da FIFA, ainda que vários outros responsáveis do organismo mundial estejam também a ser investigados pelas autoridades suíças e norte-americanas.

A 25 de setembro, o Ministério Público suíço instaurou um processo criminal a Blatter, que foi interrogado na qualidade de arguido, por suspeita de gestão danosa, apropriação indevida de fundos e abuso de confiança.

Platini foi ouvido na qualidade de testemunha e acabou por ser implicado no processo, por ter recebido de Blatter um pagamento ilegal, feito "em prejuízo da FIFA", no valor de dois milhões de francos suíços (perto de 1,8 milhões de euros).

A FIFA foi abalada por um escândalo de corrupção em maio, a dois dias da reeleição de Blatter, num processo aberto pela justiça dos Estados Unidos e que levou à acusação de 14 dirigentes e ex-dirigentes.

No início de junho, Blatter apresentou a demissão, abrindo o caminho para novas eleições, que foram marcadas para 26 de fevereiro de 2016.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.