sicnot

Perfil

Desporto

Bruno César não esperava assinar por "um grande" tão cedo

O futebolista brasileiro Bruno César, que assinou esta sexta-feira pelo Sporting, revelou que o seu objetivo quando chegou ao Estoril-Praia "era fazer uma boa época" e mudar-se para "um 'grande'", embora não estivesse à espera que "fosse tão cedo".

Bruno César, que já foi treinado pelo atual técnico leonino, Jorge Jesus, no Benfica, em 2011/2012, salientou a importância do treinador na transferência para Alvalade. (Arquivo)

Bruno César, que já foi treinado pelo atual técnico leonino, Jorge Jesus, no Benfica, em 2011/2012, salientou a importância do treinador na transferência para Alvalade. (Arquivo)

Francisco Seco / AP

"Como já tinha referido, o meu objetivo quando cheguei ao Estoril era fazer uma boa época para depois poder transferir-me para um 'grande' da Europa e de Portugal. Felizment,e pude continuar em Portugal, numa equipa 'grande' que já conheço. Não esperava que fosse tão cedo, a meio da época, mas estou muito feliz e o importante é que vou poder ajudar o Sporting", comentou ao Jornal Sporting.

Bruno César, que já foi treinado pelo atual técnico 'leonino', Jorge Jesus, no Benfica, em 2011/2012, salientou a importância do treinador na transferência para Alvalade.

"Foi importante, claro. Já pude ser treinado por ele no Benfica, ensinou-me muita coisa e isso fez a diferença para poder vir para um Clube 'grande' de Portugal com um treinador que já conheço e já me conhece, o que facilita bastante", disse.

Sobre os seus novos companheiros de equipa, o brasileiro explica que "a equipa é totalmente diferente do que era há dois ou três anos, a nível de jogadores e de posicionamento dentro do campo", mas reforça que "o Sporting tem grandes jogadores e um grande treinador, que é fundamental".

Apesar de só poder disputar jogos oficiais pelos 'leões' em janeiro de 2016, o médio começa a integrar os trabalhos da equipa 'verde e branca' a partir de sábado.

Lusa

  • "É abusivo falar de fuga ao fisco"
    4:10

    Economia

    Dez mil milhões de euros é o valor de que se fala das transferências para contas offshore, que terão escapado à Autoridade Tributária. O número impressiona, mas é preciso notar que este dinheiro é capital que sai do país e o capital não está sujeito ao pagamento de imposto só porque sai do país. O fiscalista Tiago Caiado Guerreiro esteve no Jornal da Noite para dar mais explicações sobre o caso.