sicnot

Perfil

Desporto

Atleta russo enfrenta suspensão de quatro anos após ignorar castigo da IAAF

O atleta russo Viktor Ugarov enfrenta uma suspensão que pode ir até quatro anos, depois de ignorar o castigo que a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) impôs à Federação russa (ARAF), ao participar numa maratona no passado domingo.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Carlo Allegri / Reuters

Segundo a Federação Russa, o atleta participou na maratona de Kanasawa, no Japão, que acabou por vencer, violando assim a suspensão provisória que a IAAF impôs à ARAF, depois de a Federação ter sido acusada de "dopagem organizada".

"Vamos multá-lo [Ugarov]. Vai ser uma suspensão de pelo menos dois anos. Talvez, até, uma suspensão de quatro anos", disse o presidente da ARAF, Vadim Zelichenok, à agência de notícias ITAR-TASS.

Assim sendo, a IAAF cancelou o resultado de Ugarov na maratona de Kanazawa, com o atleta impedido de receber também o prémio monetário.

Também hoje, a ARAF emitiu um aviso aos seus atletas, revelando que a sua participação em qualquer competição fora de Rússia pode causar uma suspensão, por quebrar o castigo imposto pela IAAF.

Um relatório da Comissão Independente (CI) da Agência Mundial Antidopagem (AMA), tornado público na segunda-feira, recomenda a suspensão da Federação Russa de Atletismo, por práticas de doping, assim como a retirada da acreditação ao laboratório de Moscovo, cujo diretor foi responsável pela destruição de 1.417 amostras consideradas suspeitas de práticas dopantes.

O documento elaborado pela comissão acusa também, entre outras coisas, os serviços secretos russos de intimidação dos responsáveis pela análise de amostras recolhidas nos Jogos Olímpicos de Sochi e recomenda, igualmente, a erradicação de cinco atletas e cinco treinadores.

Entre os atletas que a comissão quer ver afastados do atletismo está Mariya Savinova, campeã olímpica dos 800 metros nos Jogos de Londres2012, e Ekaterina Poistogova, bronze na mesma categoria.

Na sexta-feira a IAAF decidiu suspender provisoriamente, e com efeito imediato, a Federação Russa de Atletismo, em resposta à recomendação da AMA, que publicou um relatório no qual salientou as práticas de doping e ocultação de resultados positivos.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.