sicnot

Perfil

Desporto

Galatasaray rescinde com o treinador Hamza Hamzaoglu

O treinador Hamza Hamzaoglu vai abandonar o Galatasaray, anunciou esta quarta-feira o clube da liga turca de futebol e adversário do Benfica na Liga dos Campeões, adiantando que a saída se deu por "mútuo acordo".

O técnico assumiu o comando do emblema turco em novembro de 2014. (Arquivo)

O técnico assumiu o comando do emblema turco em novembro de 2014. (Arquivo)

© Osman Orsal / Reuters

"O contrato com Hamzaoglu foi rescindido por mútuo acordo. Nós agradecemos os seus serviços e desejamos-lhe sucesso no futuro", pode ler-se no comunicado emitido pelo clube de Istambul.

O técnico assumiu o comando do emblema turco em novembro de 2014, substituindo o italiano Cesare Prandelli e guiando o clube ao título de campeão turco na mesma época.

Apesar de ter um plantel com jogadores como Lukas Podolski e Wesley Sneijder, o Galatasaray está, atualmente, em terceiro lugar no campeonato, atrás dos rivais da capital Besiktas e Fenerbahce, e ocupa a mesma posição no grupo C da Liga dos Campeões, liderado pelo Benfica.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras