sicnot

Perfil

Desporto

Detetadas mais de 120 transações suspeitas relacionadas com escolhas da FIFA

A comissão responsável pela investigação à atribuição dos Mundiais de futebol da Rússia, em 2018, e do Qatar, em 2022, anunciou hoje ter detetado mais de 120 transações financeiras suspeitas relacionadas com as escolhas da FIFA.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Arnd Wiegmann / Reuters

Um porta-voz do Gabinete do Procurador-Geral da Suíça (OAG), citado pela agência France Presse, refere que a comissão recebeu dos serviços financeiros de investigação mais de 120 relatórios de transações suspeitas relacionadas com a adjudicação dos Mundiais.

"Estes relatórios estão relacionados com os processos penais em curso em torno da atribuição da organização dos campeonatos do Mundo de futebol de 2018 e 2022", refere o porta-voz.

O comité executivo da FIFA votou em dezembro de 2010 a atribuição dos Mundiais de futebol de 2018 e 2022, numa decisão polémica que gerou logo suspeitas de corrupção negadas prontamente pela Rússia e pelo Qatar.

Mohamed Bin Hammam, ex-vice-presidente da FIFA e presidente da Confederação Asiática de Futebol, tem sido uma figura central em muitas das alegações deste processo.

Bin Hammam, que a comissão deseja que colabore na investigação e que é tido como figura central na atribuição do Mundial do Qatar, em 2022, foi banido pela FIFA em 2012 após o seu nome ter surgido envolvido em processos de suborno.

Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.