sicnot

Perfil

Desporto

Ex-atleta Marta Domínguez suspensa por três anos

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) suspendeu hoje por três anos a ex-atleta espanhola Marta Domínguez, ao considerá-la culpada de uma violação das regras antidopagem por "anomalias no seu passaporte biológico".

Reuters

Reuters

© Andrea Comas / Reuters

O TAS decidiu também anular todos os resultados obtidos por Marta Domínguez entre 05 de agosto de 2009 e 08 de julho de 2013.

A Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) e a Agência Mundial Antidopagem (AMA) recorreram ao TAS há 14 meses, depois de a Federação Espanhola de Atletismo ter decidido não sancionar uma das atletas de referência do desporto espanhol por irregularidades no seu passaporte biológico, coincidentes com o período em que esta conquistou o título mundial nos 3.000 metros obstáculos (2009).

A IAAF considerou que os valores sanguíneos presentes no passaporte de Domínguez, entre 05 de agosto de 2009 e 04 de janeiro de 2013, apontavam para dopagem sanguínea continuada e pediu quatro anos de suspensão para a senadora do Partido Popular por Palência, cidade onde nasceu há 40 anos.

No entanto, o Comité de Competição e Jurisdição da Federação Espanhola ilibou-a em dezembro de 2013.

Com a decisão do TAS, Domínguez, que hoje tinha sido retirada das listas do PP ao congresso de Madrid e cujo nome esteve implicado nas Operações Puerto e Galgo, dois escândalos de dopagem no desporto espanhol, perde o título mundial conquistado há seis anos.

Lusa

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efetivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21
  • Antigos quadros da Facebook declaram-se preocupados com efeitos da rede social

    Mundo

    Alguns dos antigos quadros da empresa Facebook estão a começar a exprimir sérias dúvidas sobre a rede social que ajudaram a criar, foi noticiado. A Facebook explora "uma vulnerabilidade na psicologia humana" para criar dependência entre os seus utilizadores, afirmou o primeiro presidente da empresa, Sean Parker, num fórum público.