sicnot

Perfil

Desporto

Lesão deixa Nasri ausente dos relvados durante três meses

O futebolista francês Samir Nasri vai ficar ausente dos relvados durante os próximos três meses devido a uma lesão num tendão, anunciou hoje o internacional gaulês, que atua nos ingleses no Manchester City.

© Reuters Staff / Reuters

"O que não nos mata, faz-nos mais fortes. Voltarei melhor que nunca. Vemo-nos daqui a três meses", escreveu o médio de 28 anos na sua conta da rede social Instagram, juntamente com uma fotografia em que aparece de muletas.

Esta temporada, Nasri fez oito jogos pelo Manchester City, dois como titulares, tendo marcado um golo, e a sua última aparição foi a 17 de outubro, como suplente utlizado, na goleada caseira sobre o Bournemouth, por 5-1, para a Premier League.

Lusa

  • Incêndio na Sertã "está para durar"
    3:32

    País

    Mais de 700 operacionais combatem o incêndio com três frentes ativas, na Sertã. A jornalista da SIC, Patrícia Figueiredo, esteve junto a Relva da Louça, em Proença-a-Nova, onde avançou que a "situação está complicada" e que as chamas estão quase a alcançar a localidade. A jornalista dá conta ainda de várias equipas da Proteção Civil a ajudar os bombeiros e do seu trabalho dificultado por causa do vento.

  • Genro de Donald Trump depõe hoje no Senado

    Mundo

    Jared Kushner, genro do Presidente dos EUA Donald Trump, vai hoje depor à porta fechada perante o comité dos serviços de inteligência do Senado, a câmara alta do Congresso norte-americano.

  • " A melhoria das contas públicas não foi feita à custa dos portugueses"
    1:30

    País

    Numa espécie de balaço deste ano e meio de governação, o primeiro-ministro voltou a assinalar voltou a assinalar a redução do défice e as melhorias nas contas públicas. Num jantar com militantes em Coimbra, António Costa garantiu ainda que a "verdadeira reforça do Estado avança até ao final desta legislatura, que é a Descentralização.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15