sicnot

Perfil

Desporto

Medidas de segurança triplicam para o Barcelona-Roma

As medidas de segurança vão triplicar para o jogo de terça-feira entre os espanhóis do Barcelona e os italianos da AS Roma, para a Liga dos Campeões de futebol, e as autoridades pedem paciência aos adeptos.

Seydou Keita e Luis Suárez lutam pela bola no encontro da 1ª jornada do grupo E da Champions, que terminou empatado a um golo, em Roma.

Seydou Keita e Luis Suárez lutam pela bola no encontro da 1ª jornada do grupo E da Champions, que terminou empatado a um golo, em Roma.

© Tony Gentile / Reuters

O reforço das medidas de segurança surge após os atentados sangrentos de 13 de novembro, em Paris, que causaram pelo menos 13o mortos, entre os quais dois portugueses, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Os ataques, perpetrados por pelo menos sete terroristas, que morreram, ocorreram em vários locais da cidade, entre eles uma sala de espetáculos e as imediações do Stade France, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controlo de fronteiras na sequência daquilo que o Presidente François Hollande classificou como "ataques terroristas sem precedentes no país".

As portas do Camp Nou vão abrir três horas antes do início do jogo e as pessoas vão ser obrigadas a passar por controlos especiais. Algumas das áreas do clube catalão, nomeadamente o museu, vão permanecer fechadas ao público por prevenção.

O Barcelona lidera o Grupo E, com 10 pontos, seguido da Roma (2.º), com cinco. Os italianos somam mais um ponto do que os alemães do Bayer Leverkusen (3.º) e dois do que os bielorrussos do Bate Barisov (4.º).

Lusa

  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.