sicnot

Perfil

Desporto

Jogo entre Atlético Madrid e Galatasaray com reforço de segurança

O jogo entre Atlético Madrid e Galatasaray, da 5ª jornada do grupo C da Liga dos Campeões em futebol, em Madrid, contará com mais 30 por cento de polícias do que o habitual.

Para o jogo no Vicente Calderón serão mobilizados 400 polícias nacionais, entre unidades para a ordem pública, cavalaria e equipas cinotécnicas, 100 municipais, 60 efetivos da proteção civil, 33 da cruz vermelha e 498 seguranças privados. (Arquivo)

Para o jogo no Vicente Calderón serão mobilizados 400 polícias nacionais, entre unidades para a ordem pública, cavalaria e equipas cinotécnicas, 100 municipais, 60 efetivos da proteção civil, 33 da cruz vermelha e 498 seguranças privados. (Arquivo)

© Reuters Staff / Reuters

Para o jogo no Vicente Calderón serão mobilizados 400 polícias nacionais, entre unidades para a ordem pública, cavalaria e equipas cinotécnicas, 100 municipais, 60 efetivos da proteção civil, 33 da cruz vermelha e 498 seguranças privados.

Segundo informação da polícia, em Madrid, "é um jogo classificado de alto risco, por ser da Liga dos Campeões".

"Todas as grandes concentrações de pessoas estarão mais protegidas e, como tal, haverá mais polícias, em 30 por cento, e também porque o clube aumentou o número de segurança de privados, mais do que o habitual", esclareceu Concepción Dancausa, da polícia madrilena.

Atlético Madrid e Galatasaray são adversários do Benfica no Grupo C da Liga dos Campeões, com os 'encarnados' a defrontarem na quarta-feira o Astana, na capital do Cazaquistão.

Também na segunda-feira foi anunciado que as medidas de segurança vão triplicar para o jogo de hoje entre os espanhóis do FC Barcelona e os italianos da AS Roma, e as autoridades pediram paciência aos adeptos.

O reforço das medidas de segurança surge após os atentados sangrentos de 13 de novembro, em Paris, que causaram pelo menos 130 mortos, entre os quais dois portugueses, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Os ataques, perpetrados por pelo menos sete terroristas, que morreram, ocorreram em vários locais da cidade, entre eles uma sala de espetáculos e as imediações do Stade France, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

Lusa

  • A culpa é de Obama
    0:32

    Mundo

    Quem o diz é Donald Trump. O Presidente dos EUA acusa o antecessor de estar por detrás das fugas de informação e dos protestos feitos por todo o país.

  • Turistas à volta da Lua em 2018
    1:21
  • Bastidores do sambódromo: um espétaculo à parte
    3:22

    Mundo

    Por detrás da alegria do desfile das escolas de samba, há a tensão e a adrenalina dos bastidores do sambódromo. A preparação antes da entrada na avenida é um espetáculo à parte como mostra a correspondente da SIC, no Rio de Janeiro, Ivani Flora

    Correspondente SIC

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06