sicnot

Perfil

Desporto

Mourinho precisa de calculadora para perceber Grupo G da "Champions"

José Mourinho disse hoje necessitar de uma calculadora para compreender as contas do Grupo G da Liga de Campeões de futebol, depois de a vitória sobre o Maccabi Telavive ter levado o Chelsea a igualar o FC Porto.

Ariel Schalit

"Preciso de uma calculadora para entender este grupo. Sei que se ganharmos o próximo encontro seremos primeiros e que se perdermos poderemos ser relegados para a Liga Europa. Prefiro pensar que vamos ganhar", disse o treinador português do Chelsea, depois do triunfo dos 'blues' por 4-0 em Haifa (Israel).

Mourinho admitiu que o Maccabi mereceu mais do que perder por 4-0.

"Tiveram boas ocasiões, mas o [Asmir] Begovic salvou-nos no 1-0. Jogámos bem na primeira parte. O relvado não estava bom e tivemos dificuldade em construir o nosso jogo. Adormecemos e demos uma hipótese ao Maccabi para voltar ao encontro", reconheceu.

Com o triunfo de hoje, o Chelsea igualou o FC Porto, que perdeu por 2-0 com o Dínamo Kiev, na liderança do Grupo G.

Na última ronda, caso os ucranianos vençam em casa os israelitas, que ainda não pontuaram, o FC Porto precisa de vencer o Chelsea para garantir o apuramento, pois teria desvantagem em caso de empate a três, com Dínamo e a equipa de José Mourinho.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".