sicnot

Perfil

Desporto

UEFA declara que "nunca aceitará" doping no futebol

A UEFA assegurou esta terça-feira que "nunca aceitará" o doping no futebol e que se mantém "na vanguarda" do combate a este fenómeno, "com um programa dinâmico, inteligente e multifacetado" em que clubes, jogadores e treinadores possam depositar "total confiança".

(Arquivo)

(Arquivo)

© Toby Melville / Reuters

A organização de cúpula do futebol europeu respondia assim às críticas do técnico francês do Arsenal, Arsene Wenger, que questionou a decisão da organização de manter o resultado do jogo da Liga dos Campeões de futebol que opôs a sua equipa ao Dínamo Zagreb, que os ingleses perderam por 2-1, apesar de um jogador croata ter sido posteriormente suspenso por doping.

"O quadro normativo antidoping da UEFA está estritamente em conformidade com o artigo 11.º do Código da Agência Mundial Antidopagem (AMA), de acordo com o qual quando mais de um jogador é notificado de uma possível violação das normas, toda a equipa terá de ser submetida a um controlo; se a infração envolver mais de dois jogadores, a equipa terá de ser desqualificada ou ser castigada de outra forma", explica a UEFA numa declaração.

Arsene Wenger defendeu na segunda-feira a necessidade de mudanças relativamente às normas antidoping em vigor na UEFA, que defendeu não serem suficientemente dissuasoras.

"Não é possível aceitar que o resultado se mantenha, apesar de terem jogado com um jogador dopado. Isso significa basicamente uma aceitação do próprio doping", afirmou o técnico do Arsenal, acrescentando: "Pessoalmente não concordo com as regras [antidoping] (...). Significam que basicamente aceitamos o doping".

O Arsenal volta a defrontar hoje o Dínamo Zagreb, estando obrigado a vencer e a esperar que o Bayern Munique derrote o Olympiacos para manter hipóteses de seguir em frente na competição.

Lusa

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08