sicnot

Perfil

Desporto

Comparado a Senna e Schumacher com apenas 18 anos

Aos 17 anos, quando ainda não tinha idade para ter carta de condução, o holandês Max Verstappen converteu-se no piloto mais jovem a estrear-se na categoria máxima do automobilismo, a mais exigente e a que tem mais velocidade, e, por isso, a que supostamente reúne os melhores pilotos do Mundo. Na altura, ainda só tinha corrido uma temporada numa categoria de carros. Agora, com 18 anos, prepara-se para fazer a sua primeira temporada, este fim de semana, no Grande Prémio de Abu Dhabi. Um jovem que muitos já comparam a Senna e Schumacher

Andre Penner

"Absolutamente fantástico, calculado na perfeição. Continua, simplesmente, a impressionar." Foram as palavras do ex-piloto de Fórumla 1 e comentador da BBC, o britânico David Coulthard, quando descreveu o adiantamente do piloto da Red Bull sobre o mexicano Sergio Pérez (da Force India), no ano passado, no Grande Prémio do Brasil. "Comparo-o a Michael Schumacher e a Ayrton Senna. Apesar de estar no início, é tão bom como eles", acrescentou Eddie Jordan, que foi dono e diretor da equipa com a qual Schumacher se estreou em 1991.

Esta temporada, uma das características de Verstappen que mais se destacou foi a capacidade para fazer ultrapassagens difíceis aos rivais. E fê-lo frente ao australiano Daniel Ricciardo, no Grande Prémio da Malásia; na bifurcação, na China, com Marcus Ericsson; com Pastor Maldonado, na curva de Saint Devote no Mónaco; com Felipe Nasr, a mais de 300 quilómetros por hora na Bélgica; e frente a Pérez, no circuito de Interlagos.

Tem captado as atenções. Principalmente, dentro da área. E, por isso, para um outro ex-piloto britânico de Fórmula 1 (e vencedor das 24 Horas de Le Mans), Allan McNish, "Verstappen tem uma excelente perceção do espaço, uma consciência especial dos limites do seu carro e dos seus rivais".

Mas vamos passar agora ao próprio Max Verstappen. O jovem piloto disse à BBC que aprendeu muito com a experiência do pai (Jos, expiloto de Fórmula 1). "Ele era muito rigoroso quando eu era mais jovem, mas isso serviu-me para chegar onde estou. (...) Muitas vezes não gostava. Via amigos que não eram tão profissionais, que se divertiam e passavam tempo juntos. Eu nunca fiz isso, o meu pai dizia que não era profissional, que tinha de me concentrar para atingir os resultados e foi isso que fizemos."

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.