sicnot

Perfil

Desporto

Jamie Vardy na história de Inglaterra por marcar pela 11ª jornada consecutiva

O avançado internacional inglês Jamie Vardy conseguiu hoje um feito inédito na Primeira Liga inglesa de futebol, ao marcar pela 11.ª jornada consecutiva, na receção ao Manchester United.

Rui Vieira

Depois de ronda anterior ter igualado o recorde do holandês Ruud van Nistelrooy (marcou em 10 jogos seguidos do United, entre 2002/03 e 2003/04), Vardy superou esse registo com um tento aos 24 minutos, o seu 14.º em 14 jogos.

Nascido a 11 de janeiro de 1987, Vardy, de 28 anos, marca consecutivamente na 'Premier League' desde 29 de agosto, dia em que selou o empate do Leicester em Bournemouth, aos 86 minutos, de grande penalidade.

Desde esse jogo, o avançado que o Leicester foi buscar em 2011/12 ao 'desconhecido' Fleetwood, do quarto escalão, nunca falhou, marcando a Aston Villa, Stoke City, Arsenal (dois), Norwich, Southampton (dois), Crystal Palace, West Bromwich, Watford, Newcastle e, agora, ao Manchester United.

Na presente edição da prova, o avançado que também já alinhou em clubes como o Stocksbridge Park Steels e o Halifax estreou-se com um golo (4-2 ao Sunderland), tendo 'falhado' apenas face a West Ham (terceira ronda) e Tottenham (quarta).

Com o 14.º tento na prova, Vardy lidera destacado a liderança dos marcadores, sendo seguido pelo internacional belga Romelu Lukaku, do Everton, que apontou hoje o seu 10.º, na casa do Bournemouth.

Ao intervalo do jogo 'grande' da 14.ª ronda da 'Premier League', o Leicester (28 pontos) e o Manchester United (27) seguem empatados 1-1, já que, aos 45+1 minutos, o alemão Bastian Schweinsteiger restabeleceu a igualdade.

Lusa

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.