sicnot

Perfil

Desporto

Mourinho diz que Diego Costa "é um privilegiado"

O treinador do Chelsea, José Mourinho, afirmou hoje que o futebolista internacional espanhol Diego Costa, que permaneceu no banco frente ao Tottenham (0-0), em encontro da 14.ª jornada da Liga inglesa, tem sido "um privilegiado".

Tim Ireland

"Diego é um privilegiado porque tem sido o único jogador que ainda não se sentou no banco. Já sucedeu a todos: a Ivanovic, a Cahill, a Fábregas, a Pedro e a Oscar: todos já estiveram em algum momento no banco", disse Mourinho.

O internacional espanhol mostrou a sua insatisfação por não ter entrado em campo, depois de ter estado a realizar exercícios de aquecimento, atirando o seu colete na direção de Mourinho.

Afirmando ter "uma boa relação" com Diego Costa, o técnico português manifestou-se satisfeito com a "atitude dos jogadores" e com "o resultado".

"Se tivéssemos ganhado, a nossa atuação teria sido considerada tremenda", acrescentou.

O Chelsea, atual campeão, foi hoje ao terreno do 'vizinho' Tottenham empatar 0-0, somando a terceira igualdade na prova, às quais à que juntar sete derrotas, para míseros quatro triunfos (17-23 em golos).

A atravessar uma crise de resultados no campeonato, a equipa orientada por José Mourinho acabou por conquistar um ponto no terreno de um clube que o treinador português considerou ser um dos fortes candidatos ao título.

Com este empate, o Tottenham manteve o quinto lugar, com 25 pontos, a quatro da dupla formada por Manchester City e Leicester City.

O Chelsea - que recebe a 09 de dezembro o FC Porto, na sexta e última jornada do Grupo G da Liga dos Campeões, decisiva para os dois clubes na corrida ao apuramento para a fase a eliminar -- subiu, à condição, ao 14.º lugar, com apenas 15 pontos.

Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.