sicnot

Perfil

Desporto

Mourinho diz que Diego Costa "é um privilegiado"

O treinador do Chelsea, José Mourinho, afirmou hoje que o futebolista internacional espanhol Diego Costa, que permaneceu no banco frente ao Tottenham (0-0), em encontro da 14.ª jornada da Liga inglesa, tem sido "um privilegiado".

Tim Ireland

"Diego é um privilegiado porque tem sido o único jogador que ainda não se sentou no banco. Já sucedeu a todos: a Ivanovic, a Cahill, a Fábregas, a Pedro e a Oscar: todos já estiveram em algum momento no banco", disse Mourinho.

O internacional espanhol mostrou a sua insatisfação por não ter entrado em campo, depois de ter estado a realizar exercícios de aquecimento, atirando o seu colete na direção de Mourinho.

Afirmando ter "uma boa relação" com Diego Costa, o técnico português manifestou-se satisfeito com a "atitude dos jogadores" e com "o resultado".

"Se tivéssemos ganhado, a nossa atuação teria sido considerada tremenda", acrescentou.

O Chelsea, atual campeão, foi hoje ao terreno do 'vizinho' Tottenham empatar 0-0, somando a terceira igualdade na prova, às quais à que juntar sete derrotas, para míseros quatro triunfos (17-23 em golos).

A atravessar uma crise de resultados no campeonato, a equipa orientada por José Mourinho acabou por conquistar um ponto no terreno de um clube que o treinador português considerou ser um dos fortes candidatos ao título.

Com este empate, o Tottenham manteve o quinto lugar, com 25 pontos, a quatro da dupla formada por Manchester City e Leicester City.

O Chelsea - que recebe a 09 de dezembro o FC Porto, na sexta e última jornada do Grupo G da Liga dos Campeões, decisiva para os dois clubes na corrida ao apuramento para a fase a eliminar -- subiu, à condição, ao 14.º lugar, com apenas 15 pontos.

Lusa

  • Trabalharia horas extra sem ser pago? E feriados?  
    1:25
  • UE dá "luz verde" para início das negociações do Brexit

    Brexit

    Os 27 Estados-membros da União Europeia aprovaram esta segunda-feira a autorização para o início das negociações do Brexit, indicando formalmente o final de junho para início do processo de saída do Reino Unido, que se prolongará por dois anos.

  • Regras secretas do Facebook permitem divulgação de imagens violentas

    Mundo

    A política interna da empresa Facebook defende que nem todos os vídeos violentos publicados na rede social devem ser apagados porque "não quer censurar ou punir pessoas em perigo". A revelação é feita pelo jornal britânico The Guardian após uma investigação em que conseguiu ter acesso ao manual interno.