sicnot

Perfil

Desporto

Barcelona domina prémios da Liga espanhola

O Barcelona dominou esta segunda-feira a cerimónia de entrega dos prémios do campeonato espanhol de futebol, na Gala da Liga realizada no Fórum de Barcelona, arrebatando quatro troféus, contra apenas dois do Real Madrid.

A escolha para melhor avançado, em que o português Cristiano Ronaldo era hipótese, acabou por recair no argentino Lionel Messi (E) - uma das quatro distinções do Barça, que assegurou ainda o melhor guarda-redes (Claudio Bravo), treinador (Luis Enrique) e jogador americano (o brasileiro Neymar (C)). (Arquivo)

A escolha para melhor avançado, em que o português Cristiano Ronaldo era hipótese, acabou por recair no argentino Lionel Messi (E) - uma das quatro distinções do Barça, que assegurou ainda o melhor guarda-redes (Claudio Bravo), treinador (Luis Enrique) e jogador americano (o brasileiro Neymar (C)). (Arquivo)

© Albert Gea / Reuters

A escolha para melhor avançado, em que o português Cristiano Ronaldo era hipótese, acabou por recair no argentino Lionel Messi - uma das quatro distinções do 'Barça', que assegurou ainda o melhor guarda-redes (Claudio Bravo), treinador (Luis Enrique) e jogador americano (o brasileiro Neymar).

Para o Real Madrid, ficaram os prémios de melhor defesa (Sergio Ramos) e médio (James Rodíguez). O melhor jogador africano foi o argelino Sophiane Feghouli, do Valência.

Lusa

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.