sicnot

Perfil

Desporto

Real Madrid vai recorrer da desclassificação da Taça do Rei

O Real Madrid, desclassificado da Taça do Rei, por utilização indevida de Cheryshev na vitória (3-1) sobre o Cádis, vai recorrer da decisão da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), confirmou esta sexta-feira o clube à agência EFE.

Os 'merengues' foram desclassificados da Taça do Rei por utilização indevida de Cheryshev, no encontro da primeira mão dos 16 avos de final da prova.

Os 'merengues' foram desclassificados da Taça do Rei por utilização indevida de Cheryshev, no encontro da primeira mão dos 16 avos de final da prova.

© Marcelo del Pozo / Reuters

O Real Madrid vai apelar da decisão do juiz de competições da RFEF junto do Comité de Recurso e, caso o seu propósito seja rejeitado, irá recorrer, em última instância, ao Tribunal de Arbitragem Desportiva, que se reunirá na próxima sexta-feira.

Os 'merengues' foram hoje desclassificados da Taça do Rei por utilização indevida de Cheryshev, no encontro da primeira mão dos 16 avos de final da prova.

O extremo russo, que até marcou o primeiro golo do jogo, tinha um jogo de suspensão por cumprir da época passada, quando estava ao serviço do Villarreal.

O juiz de competição da RFEF considerou que o jogador estava castigado e puniu o Real Madrid com derrota e uma multa de 6.001 euros, considerando a eliminatória fechada -- a segunda mãon estava marcada para 16 de dezembro, em Madrid.

Na quinta-feira, o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, tinha afirmado que o clube não tinha utilizado indevidamente o futebolista russo, considerando que a sanção não era eficaz por Cheryshev não ter sido notificado pessoalmente.

Lusa

  • Presidente do Real Madrid explica porque clube não pode ser afastado da Taça do Rei
    1:03

    Desporto

    O presidente do Real Madrid já reagiu à polémica que envolve o Real Madrid e a utilização indevida do jogador Denis Cherychev no jogo com o Cádiz, para a Taça do Rei. Florentino Pérez diz que o jogador e o clube não foram notificados pela federação espanhola da suspensão de um jogo, por acumulação de amarelos, imposta na época passada quando Cherychev estava ainda ao serviço do Villareal. Por esse motivo, entende o Real Madrid que o clube não devia ser punido com o afastamento da prova. O Cádiz protestou o jogo da última quarta-feira, que o Real Madrid venceu por 3-1.Florentino Pérez falou ontem em conferência de imprensa e anunciou que a defesa do clube se baseia num dos artigos do Código Disciplinar da Real Federação Espanhola de Futebol.

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os discursos de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa estiveram no Jornal da Noite da SIC, onde analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O Diretor de Informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida