sicnot

Perfil

Desporto

Chelsea de Mourinho volta a perder

O Chelsea sofreu hoje mais uma derrota estrondosa na Liga inglesa de futebol, ao perder por 1-0 na receção ao Bournemouth, o oitavo desaire em 15 jogos numa prova em que defende o título de campeão.

© Reuters Staff / Reuters

Um golo marcado pelo avançado Glenn Murray aos 82 minutos impôs a quarta derrota caseira à equipa treinada pelo português José Mourinho, adversária do FC Porto na Liga dos Campeões, que continua mergulhada na 'cauda' da classificação, no 14.ºlugar, a 17 pontos do líder Leicester.

O Chelsea, que na quarta-feira discute com os portuenses a qualificação para os oitavos de final da Liga dos Campeões, no último jogo do Grupo G, ganhou apenas quatro partidas no campeonato inglês e perdeu o dobro (saldo negativo de 17-24 entre golos marcados e sofridos).

O Bournemouth ganhou alento na luta pela permanência no primeiro escalão graças ao inesperado triunfo em Stamford Bridge, subindo à 17.ª posição, a primeira acima da zona de despromoção, sobre a qual o Chelsea dista três escassos pontos.

O campeão inglês regressou ao registo habitual -- a derrota -, depois de ter parecido iniciar a retoma de um arranque desastroso de temporada, tanto na Liga 'milionária', como no campeonato, no qual vinha de um triunfo na receção ao Norwich e um empate fora com o Tottenham.

Também hoje, um 'hat-trick' de Riyad Mahrez isolou o Leicester no comando da prova, ao consumar a vitória por 3-0 no estádio do Swansea, que permitiu à equipa treinada pelo italiano Claudio Ranieri capitalizar a derrota do Manchester City.

O avançado internacional argelino foi o principal responsável pelo êxito do Leicester, que se está a assumir como a surpresa mais agradável da prova -- em contraponto com o Chelsea -, ao marcar os três golos da equipa visitante, aos cinco, 22 e 68 minutos.

O avançado do Leicester Jamie Vardy estava apostado em marcar pelo 12.º jogo consecutivo no principal campeonato inglês e igualar o recorde de Jimmy Dunne, que resiste há 83 anos, mas foi Mahrez que se destacou no País de Gales.

Vardy continua no comando da lista dos melhores marcadores, com 14 golos, mais quatro do que o colega de equipa e o belga Romelu Lukaku, avançado do Everton, que têm cada um 10 remates certeiros.

O Leicester isolou-se na liderança, beneficiando também da derrota sofrida pelo Manchester City - com o qual estava em igualdade no topo da classificação -, no terreno do Stoke, por 2-0, materializada com os golos do avançado austríaco Marko Arnautovic, aos sete e 15 minutos.

Os 'citizens', que jogaram sem vários jogadores influentes e somaram o quarto jogo consecutivo sem ganhar fora de casa, foram, inclusive, ultrapassados pelo Arsenal, vencedor por 3-1 na receção ao Sunderland.

Os londrinos inauguraram o marcador aos 33 minutos, por intermédio de Joel Campbell, e, apesar de os visitantes terem empatado aos 45, graças a um autogolo de Olivier Giroud, asseguraram o triunfo com tentos do avançado francês, aos 63, e de Aaron Ramsey, aos 90.

O Manchester United também poderia ter ultrapassado o Manchester City, mas limitou-se a empatar 0-0 na receção ao West Ham e a igualar o rival citadino, ambos a um ponto do Arsenal e a três do Leicester.

O Tottenham manteve-se no quinto lugar, apesar do empate 1-1 concedido no recinto do West Bromwich, o mesmo resultado com que terminou o Southampton-Aston Villa, no qual os portugueses Cédric Soares e José Fonte foram totalistas pela equipa anfitriã.

  • Obama acredita que Guterres será um bom líder da ONU
    0:53

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar de perto com os Estados Unidos na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido esta sexta-feira por Barack Obama, na Casa Branca, onde foi elogiado pelo ainda Presidente.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.