sicnot

Perfil

Desporto

Diretor desportivo da equipa de ciclismo W52 vai processar Bruno de Carvalho

O diretor desportivo da equipa de ciclismo W52, Nuno Ribeiro, anunciou esta segunda-feira que vai processar o presidente do Sporting, pela suspeição lançada por Bruno de Carvalho sobre o recurso ao doping.

No domingo, Bruno de Carvalho assumiu que foi um "erro" negociar a parceria com a W52 para o regresso do clube 'verde e branco' ao ciclismo e prometeu trabalhar "num projeto que tenha ambição mas onde a ética e a verdade desportiva sejam uma constante". (Arquivo)

No domingo, Bruno de Carvalho assumiu que foi um "erro" negociar a parceria com a W52 para o regresso do clube 'verde e branco' ao ciclismo e prometeu trabalhar "num projeto que tenha ambição mas onde a ética e a verdade desportiva sejam uma constante". (Arquivo)

SIC

"Irei proceder judicialmente contra o Sr. Dr. Bruno de Carvalho, presidente do Sporting Clube de Portugal. Esta é a melhor forma de proteger os nossos atletas. O desporto em Portugal não pode ficar refém de juízos gratuitos, ofensivos e infundados por parte de dirigentes que colocam em causa o bom nome, honra e consideração de todos que não lhe prestam vassalagem", afirmou Nuno Ribeiro em comunicado.

O antigo corredor afirmou que a equipa, que acabou por assinar um acordo com o FC Porto, "é exatamente a mesma da semana passada", quando Bruno de Carvalho se fez fotografar com ele e "anunciou, de forma precipitada, uma parceria com o Sporting".

"A W52 é uma equipa limpa, como atestam as centenas de controlos antidoping a que são submetidos os nossos ciclistas todas as épocas. Quem não deve não teme e, como é habitual nesta modalidade, em todos os nossos contratos há cláusulas que protegem as partes e a parceria que estabelecemos com o FC Porto não é exceção", sublinha o comunicado.

Nuno Ribeiro acrescenta que "os ciclistas da W52 não podem ser sérios quando se tira uma fotografia e passados três ou quatro dias batoteiros", afirmando que "Bruno de Carvalho sabe perfeitamente que não foi pela W52 que o acordo não se concretizou".

"Pelo nosso lado, ainda hoje não sabemos se foi pelo Sporting [que falhou o acordo], se pelo intermediário que dificultou o diálogo entre as partes", frisou, concluindo que voltará ao assunto em "local próprio".

No domingo, Bruno de Carvalho assumiu que foi um "erro" negociar a parceria com a W52 para o regresso do clube 'verde e branco' ao ciclismo e prometeu trabalhar "num projeto que tenha ambição mas onde a ética e a verdade desportiva sejam uma constante".

Na véspera, o Sporting tinha anunciado a suspensão do acordo, alegando que, já depois de anunciado o regresso ao ciclismo, "teve o clube conhecimento de diversos factos e situações que suscitaram e suscitam as maiores e mais sustentadas dúvidas sobre procedimentos relacionados com análise e controlo antidoping por parte dos promotores do projeto".

A equipa, que em 2016 se vai designar W52-FC Porto-Porto Canal, venceu as últimas três edições da Volta a Portugal, com os espanhóis Alejandro Marques (2013) e Gustavo Veloso (2014 e 2015), as duas primeiras sob o nome OFM-Quinta da Lixa e a deste ano como W52-Quinta da Lixa.

Lusa

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.