sicnot

Perfil

Desporto

Ex-patrão da Renault diz que a Fórmula 1 "está a morrer"

O antigo patrão da Renault Flavio Briatore disse esta segunda-feira acreditar que "a Fórmula 1 está a morrer" e desafiou a escuderia francesa, que vai regressar à competição em 2016, a ser competitiva rapidamente.

a Fórmula 1 está a 'morrer' e a Renault tem que ser competitiva mais cedo. Para isso, eles [Renault] devem reconstruir tudo: reforçar a estrutura técnica da escuderia em Enstone [Inglaterra], onde há um grande número de pessoas competentes e também o departamento de motores em Viry-Châtillon [Paris]. Não vai ser fácil", explicou Briatore. (Arquivo)

a Fórmula 1 está a 'morrer' e a Renault tem que ser competitiva mais cedo. Para isso, eles [Renault] devem reconstruir tudo: reforçar a estrutura técnica da escuderia em Enstone [Inglaterra], onde há um grande número de pessoas competentes e também o departamento de motores em Viry-Châtillon [Paris]. Não vai ser fácil", explicou Briatore. (Arquivo)

© Giorgio Perottino / Reuters

Ainda hoje, o sítio oficial da revista britânica Autosport revelou que a venda da Lótus à Renault, confirmada na quinta-feira passada, vai ser concluída a 16 de dezembro.

O atual patrão da Renault, Carlos Ghosn, disse, na passada sexta-feira, que a escuderia deve esperar "três anos" até se tornar "competitiva". Algo que o seu antecessor, Briatore, não concorda.

"Três anos é muito tempo, a Fórmula 1 está a 'morrer' e a Renault tem que ser competitiva mais cedo. Para isso, eles [Renault] devem reconstruir tudo: reforçar a estrutura técnica da escuderia em Enstone [Inglaterra], onde há um grande número de pessoas competentes e também o departamento de motores em Viry-Châtillon [Paris]. Não vai ser fácil", explicou.

Ainda assim, Briatore confia que Ghosn "vai colocar todos os recursos necessários para o projeto" e que a compra da Lótus é "certamente uma boa notícia para a Renault e para toda a Fórmula 1".

Lusa

  • Reclusos que fugiram de Caxias tiveram cúmplices
    1:59

    País

    Uma falha de Portugal poderá explicar a libertação de um dos dois chilenos que fugiram de Caxias e foram apanhados em Espanha. As autoridades portuguesas atrasaram-se a enviar o mandado de detenção e a polícia espanhola libertou o fugitivo. Na investigação da fuga, acredita-se que os 3 reclusos tiveram cúmplices e a namorada de um deles já foi interrogada.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus parente e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.