sicnot

Perfil

Desporto

Sousa, Elias e Frederico Silva os três melhores tenistas lusos no ranking mundial

João Sousa (33.º), Gastão Elias (133.º) e Frederico Silva (287.º) mantêm-se como os portugueses melhor cotados no 'ranking' mundial de ténis, após a lista publicada hoje, liderada pelo sérvio Novak Djokovic.

João Sousa

João Sousa

reuters

Os pequenos acertos na classificação mundial não alteraram as posições dos três melhores jogadores lusos, ao contrário de Rui Machado, Romain Barbosa e João Domingues.

Rui Machado, que não compete desde meados de setembro, desceu uma posição, figurando agora no lugar 321.

Romain Barbosa, que chegou à segunda ronda do 'future' (terceiro escalão mundial) de Tallinn no princípio de novembro, 'desvalorizou' três posições, aparecendo em 499.º.

Já João Domingues sofreu uma 'queda' de 17 lugares e foi 'desalojado' do 'top-500', passando para o 511.º posto.

Os acertos desta semana no 'ranking' mundial feminino, também de 'férias', não originaram movimentações entre as mais cotadas, numa lista comandada pela norte-americana Serena Williams.

A portuguesa Michelle Larcher de Brito, fora de competição desde o 'Grand Slam' de Wimbledon, em junho, devido a lesão, manteve o estatuto de número um portuguesa, continuando classificada em 222.ª.

Lusa

  • O primeiro dia de Donald Trump na Casa Branca
    3:05
  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.