sicnot

Perfil

Desporto

LeBron James assina contrato de patriocínio vitalício com a Nike

​LeBron James, estrela da Liga norte-americana de basquetebol (NBA) que alinha pelos Cleveland Cavaliers, assinou um contato vitalício com a Nike, anunciou hoje o fabricante de equipamento desportivo.

© USA Today Sports / Reuters

"Podemos confirmar que acordámos uma parceria vitalícia com LeBron que representa um valor importante para os nossos negócios, a nossa marca e os nossos acionistas", informa a Nike em comunicado, relembrando a relação dos últimos 12 anos com o duplo campeão da NBA (2012 e 2013) e quatro vezes jogador mais valioso da liga (2009, 2010, 2012 e 2013).

A Nike não fala em verbas, mas fontes citadas pela cadeia de televisão americana ESPN dizem que o contrato eclipsa facilmente os 300 milhões de dólares (cerca de 277 milhões de euros) do acordo de 10 anos assinado pela multinacional norte-americana com Kevin Durant, dos Oklahoma City Thunders.

Criada em 1972, a Nike assinou nos anos 80 um contrato de longa duração com uma das grandes figuras de então, Michael Jordan, mas nunca tinha anunciado um contrato vitalício. As vendas das sapatilhas Air Jordan ultrapassaram os 2,2 mil milhões de dólares desde o início da sua comercialização, em 1985.

A Nike, que em 2003 assinou um primeiro contrato de sete anos com James, no valor de 90 milhões de dólares (83 milhões de euros), já fez 13 versões das botas dedicadas ao jogador e espera alcançar 400 milhões de vendas em 2015.

Lusa

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida