sicnot

Perfil

Desporto

"Não gosto de injustiças", diz Michel Platini à saída do Tribunal Arbitral do Desporto

O francês Michel Platini garantiu hoje que não gosta de injustiças, à saída do Tribunal Arbitral do Desporto, onde foi recorrer da suspensão que lhe foi imposta pela FIFA por alegado envolvimento em atos de corrupção.

Reuters

Reuters

© Denis Balibouse / Reuters

"Vocês sabem que não gosto de injustiças. Espero que me tenham ouvido bem. Os meus advogados estiveram muito bem. Será que vou estar sábado no sorteio da fase final do Euro2016? Perguntem aos juízes [do TAS]", afirmou o francês à saída das instalações do TAS, nas quais permaneceu durante duas horas e meia.

A 08 de outubro, Michel Platini foi suspenso por 90 dias pelo Comité de Ética da FIFA que o investiga pelo recebimento de 1,8 milhões de euros em 2011 de Joseph Blatter para pagar um trabalho de aconselhamento realizado em 2002.

Platini recorreu da suspensão, que o afastou da presidência da UEFA e mantem suspenso o processo de candidatura às eleições para a presidência da FIFA, marcadas para 26 de janeiro.

O TAS, que hoje ouviu os advogados do ex-futebolista internacional francês e os da FIFA, deve decidir até sexta-feira sobre o levantamento ou a manutenção da suspensão provisória de Michel Platini.

Além de Michel Platini, o Comité de Ética suspendeu, também a 08 de outubro, por implicação no escândalo de corrupção que atinge a instituição, Joseph Blatter e o secretário-geral da FIFA, o francês Jérôme Valcke.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.