sicnot

Perfil

Desporto

Benzema respeita afastamento da seleção francesa devido ao caso Valbuena

O jogador Karim Benzema, do Real Madrid, afirmou hoje respeitar a decisão da Federação Francesa de Futebol que o afastou, provisoriamente, da seleção nacional, enquanto se mantiver o processo judicial no caso de Mathieu Valbuena.

Reuters

Reuters

© Juan Medina / Reuters

"Respeito a decisão e tenho confiança no nosso presidente, Noel Le Graet", disse o jogador numa mensagem na rede social Twitter, referindo-se ao anúncio do líder máximo do organismo que tutela o futebol francês.

Pouco antes, o responsável do organismo afirmou: "Karim Benzema não será convocado até que a situação mude, até que exista algo novo no caso, é uma decisão que tomo enquanto presidente da Federação Francesa de Futebol".

O internacional gaulês, avançado do Real Madrid, arrisca-se deste modo a falhar o Euro2016, competição que é organizada pela França, por estar acusado de ter chantageado Mathieu Valbuena, seu colega de seleção, num esquema que envolverá um vídeo de cariz sexual.

A 05 de novembro, o jogador, companheiro de Cristiano Ronaldo no Real Madrid, foi formalmente acusado de "cumplicidade na tentativa de chantagem" e conspiração em ato criminal, o que é punível com um mínimo de cinco anos de prisão.

Lusa

  • Benzema suspenso da seleção francesa até ser ilibado pela Justiça

    Desporto

    O avançado Karim Benzema está suspenso por tempo indeterminado da seleção francesa de futebol. A revelação foi feita hoja à tarde pelo presidente da federação francesa. O jogador do Real Madrid está acusado de cumplicidade na tentativa de chantagem a um colega de seleção por causa de um filme sexual. Interrogado pela polícia, Benzema admitiu que serviu de intermediário entre a vítima, o médio Mathieu Valbuena, e o porta-voz dos chantagistas, um amigo de infância. O presidente da federação diz que Benzema só voltará a vestir a camisola de França se for ilibado do inquérito em que está envolvido ou se ele e Valbuena voltarem a poder estar juntos, algo que neste momento é proibido por uma ordem judicial.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.